Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

Aplicativo WhatsApp é acusado de violar privacidade de seus usuários

Somente aparelhos iPhone podem evitar a coleta automática de dados

Compartilhe

Autoridades do Canadá e da Holanda, que zelam pela proteção da informação privada, acusaram o popular aplicativo para celulares inteligentes WhatsApp de violar várias leis relacionadas à questão.

O Comissariado para a Proteção da Privacidade do Canadá e a autoridade holandesa de proteção de dados pessoais, a CBP, fizeram uma investigação conjunta do WhatsApp, sistema de mensagens instantâneas para smartphones.

Para usar o serviço do WhatsApp, os usuários devem autorizar o acesso do aplicativo a toda a sua agenda de endereços. Todos os números de telefone em seu dispositivo móvel são enviados para o aplicativo para facilitar a identificação de outros usuários do programa.

Ao invés de apagar o número dos usuários, o aplicativo os mantém, enquanto as leis canadenses e holandesas preveem que a salvaguarda de informação deve ter um propósito determinado. Só os usuários do aplicativo que tiverem aparelhos iPhone, da Apple, com o software iOS 6 poderão adicionar manualmente os contatos e evitar a coleta automática de dados.

O Comissariado e a CBP também informaram que no começo da investigação, mensagens enviadas pelo aplicativo não estavam criptografadas e podiam ser interceptadas, especialmente quando enviadas de uma rede Wi-Fi não protegida. Em setembro de 2012, o WhatsApp reagiu à investigação em curso e começou a criptografar seu serviço de mensagens.

De acordo com as duas autoridades, o WhatsApp gera senhas para a troca de mensagens usando a informação associada aos dispositivos. Estas senhas podem ser facilmente reveladas. Um terceiro poderia, portanto, enviar e receber em nome dos usuários sem seus conhecimentos. O WhatsApp também mudou seu sistema, usando uma chave mais segura, gerada aleatoriamente.

O Comissário e a CBP colaboraram na investigação após uma denúncia apresentada em 26 de janeiro de 2012, mas apresentaram informes em separado, segundo as leis que protegem a privacidade dos dois países.

Em agosto, o WhatsApp anunciou no microblog Twitter ter superado em um único dia os 10 bilhões de mensagens compartilhadas.


Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar