Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore

Líquido "CSI" ajuda a achar inflamação

Nas séries policiais de TV e na vida real, os peritos usam um líquido que mostra resíduos de sangue que parecem invisíveis

Líquido "CSI" ajuda a achar inflamação
Líquido "CSI" ajuda a achar inflamação | Divulgação
Compartilhe

Nas séries policiais de TV e na vida real, os peritos usam um líquido que mostra resíduos de sangue que parecem invisíveis para elucidar crimes. Pesquisadores da Universidade de Washington descobriram que é possível usar o mesmo líquido para ajudar os médicos a entender uma cena de agressão. Só que nesse caso estamos falando da agressão de células do corpo contra o próprio organismo.

Esse fenômeno acontece nas doenças autoimunes. O liquido é o luminol, que através de uma reação química, torna o sangue luminescente facilitando sua visualização. O luminol faz com que áreas do corpo humano que estão passando pro um processo inflamatório agudo também se tornem luminosas, facilitando sua identificação.

Descoberto nos anos 1930, luminol vêm ajudando os peritos criminais desde então. A substância funciona através do contato com a hemoglobina e outros componentes presentes nas células sanguíneas. A dificuldade de sua utilização em organismos vivos era o fato de que dentro do corpo a hemoglobina está dentro das hemácias, impossibilitando sua exposição ao luminol.

A constatação de que um tipo de célula de defesa, o macrófago, contém compostos que reagem ao luminol, mostrou o caminho aos pesquisadores. Os macrófagos são ativados durante a inflamação e se concentram na região que está sendo atacada por bactéria ou vírus, ou pelas defesas do corpo nas doenças autoimunes.

O estudo dos processos inflamatórios e seu entendimento é importante pois as reações inflamatórias estão ligadas às doenças cardiovasculares através do estreitamento das artérias e também no desenvolvimento dos tumores malignos.

Então essa parece ser mais uma das ocasiões onde a vida imita a arte com uma ajuda da ciência.


Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar