Nessa terça-feira (22/6), a Amazon apresentou um uma novidade para o mundo – e a evolução – da inteligência artificial. Durante a conferência MARS, a empresa mostrou um novo recurso experimental que permite a assistente digital Alexa imitar vozes de pessoas mortas. As informações são do Metrópoles.

“Apesar da inteligência artificial não ser capaz de eliminar a dor da perda, ela pode definitivamente fazer as memórias durarem “, disse Rohit Prasad, cientista-chefe da Amazon, na apresentação do recurso.  

Novo recurso experimental permite Alexa imitar voz de pessoas mortas - Imagem 1

Durante a exibição, o recurso é utilizado por um garotinho, que pede para a Alexa ler o livro O Mágico de Oz na voz de sua avó, que já morreu.

Segundo Prasad, o sistema tem capacidade de aprender a imitar uma voz com apenas um minuto de áudio gravado, e não só de pessoas que já faleceram.

Apesar de a Amazon não ter confirmado a liberação da função para os usuários, o cientista-chefe da empresa afirmou que tal recurso vai permitir que pessoas possam ter relacionamentos mais duradouros com parentes falecidos, além de ressaltar que elementos humanos em inteligências artificiais como a Alexa são importantes, principalmente em épocas como a de agora, onde muitos perderam entes queridos durante a pandemia de Covid-19.