Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

Temer deve ser transferido para sala com TV em batalhão da PM em SP

O ambiente foi adaptado às pressas ontem, logo depois do pedido feito pela defesa para que ele deixasse as dependências da PF.

Compartilhe
Google Whatsapp

Depois de passar a noite numa pequena sala improvisada como cela na Superintendência da Polícia Federal de São Paulo, o ex-presidente Michel Temer deve receber neste sábado autorização da Justiça para ser transferido a um batalhão da Polícia Militar. Preso na quinta-feira, o ex-presidente está isolado numa sala de cerca de 20 metros quadrados. Para usar o banheiro, na outra ponta de um corredor, precisa ser escoltado por um policial.

Se transferido, Temer ficará numa área administrativa, com sala e um dormitório. O ambiente foi adaptado às pressas ontem, logo depois do pedido feito pela defesa para que ele deixasse as dependências da PF. Na nova sala, Temer teria uma cama, uma espécie de escrivaninha, banheiro e acesso à TV.

A própria Polícia Federal foi quem pediu autorização à juíza federal Caroline Vieira Figueiredo, que substitui Marcelo Bretas, de férias, na 7ª Vara Federal do Rio de Janeiro, para que Temer fosse transferido para uma sala de Estado maior da PM paulista.

“Informamos que a Superintendência Regional em São Paulo conseguiu sala com as condições adequadas para receber o preso Michel Miguel Elias Temer Lulia. Desta forma, solicitamos autorização de Vossa Excelência para a transferência imediata do preso para a sala de Estado Maior localizada no Batalhão Romão Gomes, da Polícia Militar do Estado de São Paulo”, escreveu o delegado regional da PF, Luiz Roberto Ungaretti de Godoy.

Amigo de Temer há mais de 30 anos, também preso na quinat-feira, João Baptista Lima Filho, conhecido como coronel Lima, foi levado para o presídio militar Romão Gomes, também na capital paulistana.

Temer e Lima são acusados de envolvimento num esquema de propina em obras em Angra 3. A empresa do amigo do ex-presidente, a Argeplan, teria sido usada para movimentar propina no valor de R$ 1,091 milhão, que teria sido destinado ao ex-presidente.

Foto: Aloisio Mauricio / Fotoarena

Visita de aliado

Além de seus advogados, o ex-presidente recebeu ontem a visita do ex-deputado e ex-ministro Carlos Marun, tido como braço direito no governo do emedebista. Com a prerrogativa de advogado, Marun já havia visitado Temer na cadeia no Rio, onde ficou por quatro dias em março deste ano.

O ministro Antonio Saldanha, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), informou na quinta-feira que a Sexta Turma da Corte vai julgar somente na terça-feira o pedido de habeas corpus do ex-presidente . Relator do HC, Saldanha Palheiro poderia ter concedido uma decisão liminar individualmente, mas, ao analisar a complexidade do caso e para respeitar uma tradição da Sexta Turma, decidiu levar o habeas corpus para julgamento em conjunto com seus colegas na próxima sessão do colegiado.

Na sexta-feira, à rádio Eldorado, o advogado de Temer, o criminalista Eduardo Carnelós, mostrou preocupação com o julgamento do recurso no STJ.

"Lamentavelmente, temos uma campanha forte contra magistrados que decidem para garantir os direitos de pessoas que são injustamente presas”, declarou o advogado.



Tópicos
Compartilhe
Google Whatsapp

veja também

Localização

Definir a localização padrão

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Fique por dentro

Receba notícias quentinhas diretamente no seu whatsapp

Continuar

Falta pouco, agora escolha as categorias que deseja receber notícias

Aperte (ctrl + clique) para selecionar vários
Pronto!

Agora você passará a receber novidades diretamente no seu whatsapp.

Termos de uso

Texto

Política de privacidade

Texto

×