O Piauí terá um distrito tecnológico que irá funcionar no Centro de Teresina. O projeto, que vai revitalizar prédios antigos da cidade, faz parte do Programa Investe Piauí, uma agência de atração de investimentos estratégicos, criada pelo Governo do Estado. A previsão é que o Distrito Tecnológico comece a funcionar em 2022.

De acordo com o gerente do projeto, Christian Paz, o distrito será um projeto de desenvolvimento econômico, social e de requalificação do Centro da cidade, tendo como ponto central a Estação Ferroviária de Teresina. Por ser uma localização privilegiada e de fácil acesso, o bairro também é o centro comercial onde funcionam empresas que possam ser beneficiadas pela contribuição tecnológica.

Estrutura física do projeto que deve funcionar como escola tecnológica e espaço para startups | FOTO: DivulgaçãoEstrutura física do projeto que deve funcionar como escola tecnológica e espaço para startups | FOTO: Divulgação

A ideia do projeto é funcionar em prédios que não estão sendo utilizados ou estão subutilizados, reutilizando estruturas já existentes, com o objetivo de ocupar novamente esses prédios e preservá-los.  

Em um dos prédios funcionará uma escola tecnológica, com educação empreendedora para Ensino Médio e sociedade, além de cursos focados em inovação e tecnologia. Um prédio onde funcionará o Hub Sertão para a ocupação de startups, no qual serão rodados programas de incubação e aceleração tecnológica, em parceria com o Sebrae e Cajuína Tec. Terão também os armazéns 1 e 2 da Estação Ferroviária, que serão o núcleo central do distrito e onde rodarão programas com a Universidade Estadual do Piauí (Uespi), Universidade Federal do Piauí (UFPI) e Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Piauí (Fapepi), além de parcerias com entidades internacionais, como o Governo da Estônia.

“O distrito vai participar de todas as etapas da base tecnológicas, que são as startups, desde a fase de concepção até a evolução, formando parcerias com instituições, universidades e a iniciativa privada para que possam construir junto conosco todas as etapas”, destacou Christian Paz.

Planejamento na fase final

Ainda segundo Christian, o projeto está em fase de finalização do planejamento para início de licitação da reforma dos prédios. A previsão é para que os dois primeiros prédios comecem a funcionar em 2022. A viabilização do projeto acontecerá por meio de parceiros, com a contribuição da tríplice hélice da inovação: organizações híbridas, universidades e empresas privadas. A ideia do Distrito Tecnológico é trabalhar questões sociais, econômicas, mas também de integração com áreas verdes e projetos histórico-culturais de Teresina.

“Estamos fechando os acordos e parcerias com essas instituições. O Distrito Tecnológico de Teresina veio atender não só uma necessidade tanto econômica quanto social, mas para além disso tem a requalificação do Centro da cidade. São prédios históricos, com localização privilegiada, mas que estão subutilizados ou não estão sendo utilizados neste momento. Então, o projeto irá resgatar e requalificar esses prédios”, explicou o gerente.

Projeto do Distrito Industrial, no Centro de Teresina | FOTO: DivulgaçãoProjeto do Distrito Industrial, no Centro de Teresina | FOTO: Divulgação

Investe Piauí

A Investe Piauí surge como uma das decisões tomadas pelo Governo do Piauí para fomentar o desenvolvimento econômico do estado diante da pandemia, com um portfólio de projetos e ações estratégicas.

Além do Distrito Tecnológico de Teresina, a Investe Piauí pretende ainda implementar, administrar e explorar industrial e comercialmente a Zona de Processamento de Exportação (ZPE) Parnaíba; o Complexo Portuário de Luís Correia; os polos empresariais; e demais projetos estratégicos de infraestrutura que tenham o Estado do Piauí como investidor.