A cidade de Teresina, no centro urbano, é 100% abastecida com água encanada. Isso coloca a capital do Piauí ao lado de cidades como São Paulo, que também conseguiram universalizar o abastecimento já em alinhamento com o Plano Nacional de Saneamento Básico. Os dados são do Instituto Trata Brasil, divulgados em 2021, ano em que a subconcessionária Águas de Teresina completa quatro anos de trabalhos relevantes no município.

Mas nem sempre foi assim. Antes, muitas regiões sofreram com o desabastecimento. No Angelim IV, por exemplo, a situação mudou completamente. “Melhorou muito. Em 100%. A Águas de Teresina fez um trabalho muito bem-feito no nosso Angelim IV. Aqui, antes, era complicado. Tinha água de forma muito mal distribuída. Agora não falta mais. Só quando tem alguma manutenção, e eles avisam antes. Acabou esse negócio do pessoal andar com balde na cabeça. Graças a Deus”, explica Fernando Marcelo, morador da região.

Fernando mora no Angelim e comemora não precisar mais carregar balde na cabeça - Foto: Raíssa Morais/Jornal MNFernando mora no Angelim e comemora não precisar mais carregar balde na cabeça - Foto: Raíssa Morais/Jornal MN

Foi no ano de 2020 que a Águas de Teresina celebrou o cumprimento da primeira meta do contrato: a universalização no acesso à água tratada. Isso significa que 100% dos imóveis na área urbana regular de Teresina, hoje, são atendidos pelo serviço. A universalização permitiu com que muitas residências pudessem ter acesso à água tratada e de qualidade pela primeira vez, como é o caso de Fernando Marcelo.

Quase R$1 bilhão em investimentos

O diretor-presidente da Águas de Teresina, Jacy Prado, explica que muito já foi investido em saneamento básico na capital pela subconcessionária. Ao todo, foram R$ 980 milhões, além da criação de 707 empregos diretos e 270 indiretos. 

Jacy Prado destaca a universalização da água como um processo importante ao longo desses quatro anos de atuação. “O saneamento básico, assim como as obras de infraestrutura, demanda muitos investimentos. Estamos aqui desde 2017 e muita coisa já aconteceu. Ampliamos as vazões de água, pois em Teresina faltava muita água. E hoje temos abastecimento nas 24 horas do dia na zona urbana”, explica.

O diretor-presidente ressalta que a meta da empresa é contribuir com o desenvolvimento social de Teresina. “É mais saúde, dignidade, qualidade de vida para a população e estamos felizes com o resultado até agora. Vamos cumprir as obrigações do Marco Regulatório e as metas contratuais”, acrescenta.

Diretor-presidente da Águas de Teresina, Jacy Prado, destaca investimentos feitos na capital - Foto: Divulgação Diretor-presidente da Águas de Teresina, Jacy Prado, destaca investimentos feitos na capital - Foto: Divulgação 

Acesso à água é infraestrutura mais importante de uma cidade, aponta Instituto Trata Brasil

Para Édison Carlos, presidente executivo do Instituto Trata Brasil, o acesso à água potável é a infraestrutura mais importante de uma cidade. “É fundamental. O saneamento básico é a infraestrutura mais importante para a vida das pessoas, pois reflete na saúde e qualidade de vida. O rendimento no trabalho e na escola é melhor. E o acesso à água é o serviço mais importante em saneamento. Tudo começa na boa qualidade da água potável, que é um dos maiores avanços de todos os tempos da ciência”, revela.

Édison afirma que os teresinenses devem comemorar essa conquista. “O município que atinge essa marca deve comemorar, embora isso devesse ser uma realidade em todos os municípios. Deveria ser regra, não exceção. Temos 35 milhões de brasileiros sem água nenhuma. É a população do Canadá! Então, uma capital como Teresina atingir essa marca é muito relevante”, finaliza.