Teresina tem centro gratuito de atendimento e prevenção ao suicídio

O atendimento do Provida acontece de segunda a sexta

Fundação Municipal de Saúde (FMS) mantém há mais de dois anos o Provida, ambulatório especializado no tratamento de pessoas com ideação suicida. O local fica dentro do Centro Integrado Lineu Araújo e disponibiliza psicólogos e psiquiatra para atendimento de pessoas com sofrimento psíquico.

“Atualmente muitos riscos estão vindo à tona através das redes sociais, o que exige de todos, poder público, autoridades e família novas respostas e vigilância. O Provida atende todos os públicos, inclusive crianças e adolescentes”, afirma Mayra Viana Melo, terapeuta ocupacional e Chefe de Núcleo da Gerência de Atenção Psicossocial de Teresina.

Image title

O Provida funciona de segunda a sexta, das 8h às 12h e das 13h30 às 17h30. O atendimento é por demanda espontânea, ou seja, não precisa de marcação prévia. O paciente é atendido por psicólogo e psiquiatra e, dependendo do quadro, inicia o acompanhamento no ambulatório. Em 2016, o ambulatório de prevenção ao suicídio realizou 3137 atendimentos a pessoas com ideação ou crise suicida.

“O Provida é responsável pelos casos dos chamados comportamentos suicidas, pessoas que tenham pensamentos, planejaram ou tentaram suicídio recentemente”, diz Mayra Viana. Ela esclarece que, caso o paciente não se enquadre no caso, ele é diagnosticado e encaminhado para outros serviços da Rede de Atenção Psicossocial do Município.

Atualmente, é realizada uma média de 16 atendimentos por dia, sendo geralmente seis médicos e 10 psicológicos. O tratamento no Provida é realizado através de acompanhamento semanal durante três meses, que inclui ainda a orientação a familiares e entes queridos para auxiliar em momentos de crise. Após esse período, de acordo com avaliação médica, a pessoa pode ser encaminhada para complementação do tratamento.

“O Provida é um serviço essencial, pois se torna uma referência para as pessoas que não sabem a quem recorrer”, informa Mayra Viana. Interessados podem ainda entrar em contato com o ambulatório por meio dos telefones do Lineu Araújo, que são 3215 4344 e 3215 9131. 

Centros de Atenção Psicossocial - CAPS

Teresina tem ainda os CAPS, que são Centros de Atenção Psicossocial de referência e tratamento para pessoas com sofrimento psíquico. É um recurso em saúde mental, constituindo-se em um serviço substitutivo ao modelo asilar, de assistência extra-hospitalar, que diminui e procura evitar reinternações psiquiátricas, buscando a ressocialização do indivíduo. Seu objetivo é oferecer atendimento à população realizando o acompanhamento clínico e reinserção social dos usuários, contribuindo para o resgate da cidadania em função da discriminação por ser acometido de sofrimento psíquico.

Em Teresina existem sete CAPS, dois na zona Norte, sendo um Infantil, três na zona Sul, sendo um AD (voltado para pessoas com problemas pelo uso de álcool ou outras drogas), um na zona Sudeste e um na zona Leste. Todos os endereços e mais informações estão disponibilizados no site da FMS: http://fms.teresina.pi.gov.br/

O CAPS pode ser procurado por pessoas que apresentam sofrimento psíquico, que impossibilite de viver e realizar seus projetos de vida. Para serem atendidos, os pacientes devem procurar diretamente o serviço ou ser encaminhado pelo Programa de Saúde da Família (PSF) ou por qualquer serviço de saúde. A pessoa pode ir sozinha ou acompanhada, devendo, preferencialmente, procurar o CAPS que atende na região onde mora.

O horário de funcionamento do CAPS é de 8h às 18h, de segunda a sexta-feira. No CAPS, o usuário encontra psiquiatra, psicólogo, enfermeira, terapeuta ocupacional, assistente social e uma equipe de apoio, que oferece atendimentos individuais, em grupo, atividades comunitárias, oficinas terapêutica e atendimento para a família (visita domiciliar, grupo de familiares).

Fonte: Com informações da Prefeitura de Teresina
logomarca do portal meionorte..com