Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

Transferência de famílias só sairá depois de licitação de obra dos diques

Um estudo apontou que há risco de rompimento de dique da avenida Boa Esperança

Compartilhe
Google Whatsapp

Este semestre, o Programa Lagoas do Norte deve lançar o edital da licitação para obras de reestruturação dos diques dos rios Poti e Parnaíba, na zona Norte de Teresina. A necessidade da obra foi apontada por relatórios técnicos que revelaram que, em momentos de chuvas mais intensas, a estrutura do dique poderia não aguentar a demanda exigida e acabar rompendo, causando problemas para várias famílias moradoras da área.

Segundo Márcio Sampaio, diretor-geral do Programa Lagoas do Norte, provavelmente, algumas famílias terão de ser removidas do local, mas o projeto trará, junto das obras no dique, o reassentamento das famílias retiradas do local. Ele aponta ainda que não existem datas definidas para essas mudanças ou quantas famílias terão de ser removidas “Tudo isso ainda está sendo analisado e somente será definido após a licitação ser concluída. Segundo nosso cronograma, as obras devem ser iniciadas somente em 2020. Nenhuma das famílias será removida sem necessidade e aquelas que forem removidas não precisarão se preocupar”, fala Márcio Sampaio.

Rubéns Santos mora há 25 anos na área e diz que sair do local não é a escolha que ele fará caso tenha mais de uma opção. “Estamos aqui há 25 anos e eu não gostaria de sair do local, mas se for o jeito vamos deixar. Porque se técnicos apontaram isso após estudos, deve ser a melhor opção”, fala Rubens Santos.

Raíssa Morais

Ivanilda Alves de Oliveira mora próximo ao dique há 15 anos e comenta que caso ela tenha que sair da casa, ela não terá problema com isso. “Se for para nossa segurança e aqui for tido como uma área de risco ou que seja necessário nós sairmos daqui, não teremos problema. Eles devem dar algum local para irmos e com isso é melhor. Eles fazem os trabalhos deles, e nós não ficamos sem moradia”, conta a moradora.

“Não é certeza que haverá um rompimento, mas como estudos mostraram que existe essa possibilidade, é melhor se preparar e prevenir problemas do que esperar eles acontecerem para só então buscar uma solução. Queremos melhorar a qualidade de vida de todos, essa ação reduz a possibilidade de problemas na área”, completa Marcio Sampaio.




Tópicos
Compartilhe
Google Whatsapp

veja também

Localização

Definir a localização padrão

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Fique por dentro

Receba notícias quentinhas diretamente no seu whatsapp

Continuar

Falta pouco, agora escolha as categorias que deseja receber notícias

Aperte (ctrl + clique) para selecionar vários
Pronto!

Agora você passará a receber novidades diretamente no seu whatsapp.

Termos de uso

Texto

Política de privacidade

Texto

×