Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

Tsunami: 'Tentei me segurar em qualquer coisa para sobreviver'

Sobreviventes contam como conseguiram escapar.

Compartilhe
Google Whatsapp

Ao menos 222 pessoas foram mortas e 843 pessoas ficaram feridas quando um tsunami atingiu as cidades costeiras do Estreito de Sunda, na Indonésia, no sábado.

Não houve alerta para as ondas gigantes que atingiram a costa à noite, destruindo centenas de prédios, varrendo carros e derrubando árvores. Suspeita-se que a erupção de um vulcão tenha causado o tsunami. Autoridades pediram que a população se mantenha longe da costa, com medo de um novo tsunami.

Sobreviventes contam como conseguiram escapar.

 (Crédito: Azwar Ipank / AFP)
(Crédito: Azwar Ipank / AFP)


'Quase perdi o fôlego'

Imagens compartilhadas nas redes sociais mostraram uma onda atingindo uma tenda em um resorte onde uma banda de rock da Indonésia chamada Seventeen estava tocando.

O vídeo mostra como membros da banda são varridos do palco quando a onda o destrói.



Chorando, o cantor Riefian Fajarsyah afirmou em um vídeo postado no Instagram que o baixista e o agente da banda morreram. Também contou como três outros membros da banda e sua própria esposa estão desaparecidos.

Em outro post, ele compartilhou uma foto sua e de sua mulher em Paris, dizendo: "Hoje é seu aniversário... Vem logo para casa".

Um membro da equipe que acompanhava a banda, Zack, disse em um vídeo que ele sobreviveu porque se segurou em parte do palco. "Nos segundos finais [embaixo da água] quase perdi o fôlego", afirmou, segundo a Reuters.

De acordo com a agências de AP, a banda divulgou uma nota: "A onda varreu todo mundo do local. Infelizmente, quando ela voltou, nossos membros não puderam se salvar. Alguns não encontraram lugares para segurar".

 (Crédito: AP PHOTO)
(Crédito: AP PHOTO)


'Tentei me segurar em qualquer coisa para sobreviver'

Dono de uma loja, Rudi Herdiansyah, disse que a praia na costa de Java estava quieta no sábado à noite, até que ele ouviu "um barulho muito forte vindo do oceano".

A parede de água atingiu sua loja na beira da praia e ele foi sugado por uma onda poderosa. Ele se lembra de ter sido derrubado três vezes. "Alá me salvou. Eu consegui sair dos destroços", diz.

Ele disse que não ouviu nenhum alerta, mas que já tinha participado de uma simulação de tsunami antes. "Isso me fez ficar mais consciente", diz. "Tentei me segurar em qualquer coisa para sobreviver. Me escondi e segurei num banco, para me proteger."

Sua pequena loja foi destruída pelo tsunami. Rudi disse que ele e sua família iriam evacuar e ir para casa de parentes longe da costa.

Dono de uma loja à beira da praia, Rudi Herdiansyah diz que foi derrubado pela parede de água (Crédito: Reprodução)
Dono de uma loja à beira da praia, Rudi Herdiansyah diz que foi derrubado pela parede de água (Crédito: Reprodução)


'Não temos dinheiro para reconstruir'

Rani tem uma barraca em Java que foi destruída pelo tsunami. "Tudo foi destruído e nós não temos o dinheiro para reconstruir", disse. Essa época é de alta temporada, período mais importante para os locais que dependem do turismo.

Itamaraty diz que não há registro de vítimas brasileiras no tsunami da Indonésia

Em nota, o Itamaraty informou que "até o momento", não há registro de brasileiros entre os atingidos. O governo brasileiro acrescentou que acompanha a situação na Indonésia por meio da Embaixada do Brasil em Jacarta e da Divisão de Assistência Consular (DAC) em Brasília.

Moradores da região costeira relataram não terem visto ou sentido nenhum sinal de alerta, como um recuo das águas ou um terremoto, antes que ondas de 2 a 3 metros de altura chegassem à costa, segundo relatos da imprensa. Porém, autoridades disseram que uma sirene de alerta disparou em algumas áreas.

'Não temos o dinheiro para reconstruir', diz Rani, dona de uma barraca de praia em Java (Crédito: Reprodução)
'Não temos o dinheiro para reconstruir', diz Rani, dona de uma barraca de praia em Java (Crédito: Reprodução)





Tópicos
Compartilhe
Google Whatsapp

veja também

Localização

Definir a localização padrão

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Fique por dentro

Receba notícias quentinhas diretamente no seu whatsapp

Continuar

Falta pouco, agora escolha as categorias que deseja receber notícias

Aperte (ctrl + clique) para selecionar vários
Pronto!

Agora você passará a receber novidades diretamente no seu whatsapp.

Termos de uso

Texto

Política de privacidade

Texto

×