SEÇÕES

Vizinhos denunciaram agressões de Dr.Jairinho a ex-mulher e filha

Em junho de 2019, relatos davam conta de que moradores do condomínio onde os três viviam ouviam xingamentos e barulhos de objetos sendo quebrados

Jairinho | reprodução
FACEBOOK WHATSAPP TWITTER TELEGRAM MESSENGER

Cinco anos depois de Ana Carolina Ferreira Netto registrar uma ocorrência policial por lesão corporal contra o então marido, Jairo Souza Santos Júnior, o Dr. Jairinho, vizinhos da dentista denunciaram que ela e a filha do casal, uma adolescente, sofriam “violências, humilhações, insultos e ofensas” por parte do vereador do Rio. 

Uma ligação para a Central de Atendimento à Mulher (Ligue 180), em junho de 2019, dava conta de que moradores do condomínio onde os três viviam, na Barra da Tijuca, ouviam xingamentos e barulhos de objetos sendo quebrados no apartamento da família. O político é investigado no inquérito que apura a morte de seu enteado, Henry Borel, de 4 anos, levado já sem vida a um hospital particular no último dia 8.

Vereador Dr. Jairinho - Foto: O Globo

A denúncia do ano passado foi encaminhada para a Ouvidoria do Ministério Público do Estado do Rio, que a remeteu à 1ª Central de Inquéritos. O órgão, por sua vez, acionou o Conselho Tutelar da Barra. De acordo com um documento assinado pela conselheira Elizabeth do Nascimento Silva Soares no dia 22 de agosto, foi feita uma visita à residência da família. Ela relatou que a ex-mulher de Jairinho a recebeu e negou a veracidade dos relatos feitos por vizinhos.

Apesar disso, Ana Carolina foi notificada e, dias depois, compareceu à sede do Conselho Tutelar levando a filha, que tinha 13 anos à época. A jovem garantiu que o relacionamento dos pais era “normal” e que, às vezes, eles chegavam a discutir, mas, se assim não fizessem, não seriam um “casal normal”. A adolescente também negou que tenha presenciado a mãe sofrer “algum tipo de violência”.

Em 3 de janeiro de 2014, Ana Carolina havia ido até a 16ª DP (Barra da Tijuca) comunicar que Jairinho “sempre foi violento”, tendo sido agredida diversas vezes por ele. A dentista o acusou de tentar enforcá-la.

Na ocasião, a dentista disse a policiais que o companheiro, com quem teve um relacionamento de 15 anos e dois filhos, estava ainda “mais violento”.



Participe de nosso grupo no WhatsApp, clicando nesse link

Entre em nosso canal do Telegram, clique neste link

Baixe nosso app no Android, clique neste link


Tópicos