Voo do RJ a SP sai com aviso de defeito na saída de emergência

Passageira flagou a cena e publicou em uma rede social

Uma passageira de um voo da Latam que partiu do Rio de Janeiro para São Paulo na terça-feira (7) publicou nas redes sociais relato de que sentiu medo ao decolar e ver que, nas saídas de emergência no meio da aeronave, haviam sido colados cartazes com os dizeres "saída inoperante".

A coordenadora de marketing Ana Luiza Xavier conta que partiu do aeroporto de Santos Dumont, Rio de Janeiro, no voo JJ3901 às 6h10 de quarta-feira com destino ao aeroporto de Congonhas, em São Paulo. Assim que entrou na aeronave, percebeu os cartazes nas saídas de emergência.

"Eu já tenho medo de avião, quando vi a plaquinha ficou aquela discussão na minha cabeça : saio do avião ou não! Acabei ficando", disse a passageira. 

Passageira fotografou saída de emergência inoperante em voo da Latam (Crédito: Reprodução)
Passageira fotografou saída de emergência inoperante em voo da Latam (Crédito: Reprodução)

A Latam Airlines Brasil informou em nota que "a segurança é um valor inegociável em todas as suas operações e segue todas as normas e regulações do setor". A companhia esclareceu ainda que "aeronave que realizou o voo JJ 3901 (Rio de Janeiro/ Santos Dumont – São Paulo/ Congonhas), operado em 07/2, seguiu viagem pois a quantidade de saídas de emergência operacionais na aeronave atendia aos requisitos internacionais de segurança, que preveem o número menor de passageiros no avião nestas condições".

A Latam salientou ainda que "a identificação das saídas, e consequentemente o bloqueio das poltronas no entorno, se faz necessária para atender justamente as regras mundiais de segurança".

A Anac respondeu que está "apurando com a área técnica" questionamentos da reportagem sobre a necessidade de funcionamento de todas as saídas de emergência das aeronaves comerciais em operação no espaço aéreo brasileiro.

Segundo a passageira, "na hora da instrução de segurança, o piloto avisou que as 2 saídas do meio do avião estavam inoperantes, porém, não entrou em detalhes". Ela salienta que nada foi informado pela tripulação aos passageiros sobre as demais saídas de emergência, localizadas nas partes dianteira e traseira da aeronave.

"Eu também não perguntei (sobre o problema), fiquei imóvel até a aterrisagem. Abri uma reclamação na Latam e na Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) e aAinda não tive resposta", disse a coordenadora de marketing, que postou a foto do ocorrido em seu perfil na rede social LinkedIn.

Fonte: Com informações do G1