Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore

W. Dias assina contratos de R$150 mi da PPP das Miniusinas de Energia

A Parceria Público-Privada (PPP) prevê a construção de oito Miniusinas de Energia Solar em cidades piauienses para abastecer os órgãos da administração estadual

Compartilhe

O govenador Wellington Dias assinou, em solenidade no Palácio de Karnak, nesta segunda-feira (7), os contratos entre o Governo do Estado e as empresas vencedoras da licitação do projeto de Parceria Público-Privada (PPP) que prevê a construção de oito miniusinas de Energia Solar em cidades piauienses para abastecer os órgãos da administração estadual.

“Estamos saindo de vez para uma geração global, cumprindo, inclusive com um compromisso do Brasil com o Acordo de Paris. Toda energia que é consumida pelos órgãos públicos será limpa, energia solar. As miniusinas irão nos oferecer um crédito com o qual vamos pagar nossa conta de energia com cerca de 25% a menos e o mais importante, energia gerada no Piauí, em regiões que vai gerar ainda emprego, renda e conhecimento”, enfatizou o chefe do Executivo estadual.

Três empresas venceram a licitação e ficarão responsáveis pela construção e operação das miniusinas: o Consórcio Energia Sustentável, composto por empresas de São Paulo e do Distrito Federal; a empresa goiana Brenge Par Engenharia e Participação; e o Consórcio Gm-Energia, composto por empresas de São Paulo e Pernambuco.

De acordo com a Superintendência de Parcerias e Concessões (Suparc), responsável pelo projeto, essa PPP vai resultar em mais de R$ 150 milhões em investimentos e gerar uma economia mensal de 25% nos gastos do Estado com energia para abastecer os órgãos públicos, isso significa uma economia de mais de R$ 10 milhões por ano nos gastos do Estado com energia elétrica.

“A assinatura desses contratos representa um novo passo, um salto de qualidade no quis respeito à geração de energia. Isso representa redução de despesa e gera uma oportunidade de receita extra, isto é, o Estado vai gerar sua própria energia por meio dessas usinas de energia solar com um custo muito menor. Isso faz com que sobre recurso para que o Estado possa investir em outras áreas e ao mesmo tempo o torna autossuficiente. Então é um projeto novo, desafiador, mas que também representa a inserção do Piauí em um contexto de agenda global”, destacou Viviane Moura, superintendente de parcerias e concessões.

Wellington Dias assina contratos da PPP das Miniusinas de Energia Solar - Foto: Divulgação/Ascom


Serão construídas oito miniusinas com capacidade de produção de 5Mw cada. Ao longo de 25 anos de contrato, a concessão vai produzir energia para ser injetada na rede da concessionária Equatorial e será implantado um sistema para gerenciar e compensar a energia produzida e a consumida pelos órgãos da administração estadual, tornando-os autossuficientes no abastecimento.

Howzembergson Brito, secretário da Secretaria de Estado da Mineração, Petróleo e Energias Renováveis (Seminper), reiterou que o projeto trará melhor energia e maior economia para o Governo do Estado. “O Piauí, hoje, é destaque mundial na produção de energias renováveis, destacando a energia solar e a energia eólica. Nesse projeto, o estado do Piauí vai ter um melhoramento na sua energia e vamos reduzir os gastos de 25% a 30%, então teremos uma energia melhor com um custo menor e quem sai ganhando é a população”, ressaltou o secretário.

Wellington Dias assina contratos da PPP das Miniusinas de Energia Solar

Fabrício Bonfim, representante a concessionária Brenge Par, afirmou a previsão para as obras de construção das miniusinas já é no mês de fevereiro. “Para nós é muita satisfatório ter sido uma das empresas vencedoras do certame, pois é um projeto de grande impacto para nossa empresa. É o primeiro projeto que vencemos na condição de parceria público-privada e ter vencido na primeira PPP de usina solar do Brasil é de grande satisfação. Os trabalhos já foram iniciados, estamos na etapa prévia do projeto, a previsão para iniciarem as obras é no mês de fevereiro, mas até lá temos que cumprir algumas etapas”, disse Bonfim.

As cidades que vão sediar as miniusinas são Caraúbas, Cabeceiras do Piauí, Curralinhos, Barras, e Canto do Buriti. A previsão é que essas miniusinas entrem em funcionamento até o final de 2021. As empresas concessionárias ainda deverão implantar, em conjunto com a Universidade Estadual do Piauí (Uespi), o Núcleo de Formação e Pesquisa em Energias Renováveis, um espaço de pesquisa, formação técnica e de transformação educacional.


Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar