Wellington Dias: "Em 2017 vamos retomar obras, gerar empregos"

'Enfrentamos dificuldades sim, mas conseguimos nos sobressair'

O  governador Wellington Dias participou, na quinta (2), da abertura do ano legislativo da Assembleia Legislativa do Estado do Piauí com a leitura da mensagem anual. Na ocasião, o chefe do poder executivo fez o balanço das ações de 2016 e apresentou os planos e estratégias para o ano de 2017. Ele destacou a necessidade do crescimento da economia e da permanência de investimentos para que possa dar continuidade aos bons resultados nas áreas da educação, saúde, cultura, obras e demais áreas.

O governador destacou que o Piauí, ao contrário da maioria dos estados, não atrasou ou parcelou salários de servidores. “Enfrentamos dificuldades sim, mas conseguimos nos sobressair. Para que alcancemos bons resultados, não tem outra saída. É fazer a economia crescer. Em 2015 fomos o único estado do Brasil com saldo positivo de empregos. Em 2016, apesar das grandes dificuldades, também crescemos economicamente, seguindo na contra mão do país. Em 2017 vamos fazer muito mais, vamos retomar obras, gerar empregos e renda”, atentou.

Wellington Dias
Wellington Dias

A necessidade de investimentos também foi um dos pontos ressaltados por Wellington Dias. “Se a nossa capacidade de investimento é baixa, no momento em que mais precisamos, vale buscar dinheiro fora. Nos dois últimos anos o empréstimo de mais de R$1 bilhão foi fundamental para atravessarmos a crise. Há necessidade de garantir uma força anticíclica. Defendo que o Brasil tenha capacidade de investimento, inclusive, ampliando o endividamento como faz o Piauí, sem ultrapassar os 70%, para que os estados possam crescer. À medida que o estado cresce, a dívida diminui na proporção da receita”, pontuou.

Para Wellington, um dos maiores desafios em 2017 é a previdência. “A despesa vem crescendo desde 2013, entre 15% e 20%. A receita tem crescido a um quarto desse patamar, então há a necessidade de cuidar. A contribuição patronal e laboral chegou a seu limite, não há como crescer mais. Portanto, teremos que encontrar outras receitas. No Piauí, já colocamos a condição para que os bens do estado possam resultar em receita para a previdência. Esse caminho nos permitiu arrecadar R$ 150 milhões, que foram usados em investimentos”, disse.

No que diz respeito à educação, o Piauí conseguiu melhorias na qualidade da escola pública, com ampliação do acesso à educação de tempo integral, implantação do Programa Poupança Jovem, implementação do Programa Jovem de Futuro. Na saúde, houve aumento de investimento e foi possível reestruturar e melhorar a rede hospitalar estadual. Houve também ampliação do atendimento materno-infantil, de leitos de UTI nos hospitais de Floriano, Oeiras e demais municípios.


Fonte: Assessoria
logomarca do portal meionorte..com