Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

Encontro de Pedreiros(as) do Semiárido do Piauí mobilizou famílias de vários municípios

Compartilhe
Google Whatsapp
Siga-nos

A Obra Kolping do Piauí realizou neste sábado o I Encontro de Pedreiros(as) do Semiárido na cidade de São Francisco de Assis do Piauí, com a participação de profissionais de vários municípios, dentre eles, Campo Alegre do Fidalgo, Conceição do Canindé, Floresta do Piauí e Paes Landim. O evento, que contou com a presença da diretoria da entidade, teve na parte da manhã uma exposição fotográfica mostrando ações da Obra Kolping no Semiárido; e uma oficina sobre a qualidade das cisternas de placas que estão sendo construídas.

Na parte da noite houve uma celebração eucarística com o Padre Geraldo, pároco do município, uma atividade cultural com um trio de forró de Picos e a apresentação de um documentário, produzido por comunicador da Obra Kolping, sobre experiência bem-sucedida na área de produção de alimentos na comunidade Gatinhos, em São Francisco de Assis do Piauí, dando ênfase ao ato de solidariedade de Seu Crispin Francisco Pereira.

O Padre Geraldo foi pioneiro em São Francisco de Assis do Piauí na realização de projetos sociais que estão ajudando as famílias a conviverem com a seca, a exemplo da produção de mel, criação de animais de pequeno porte e produção de hortaliças.





















Em 2004, a comunidade ganhou a sua primeira cisterna-calçadão, através do Padre Geraldo, para a produção comunitária de alimentos, mas as pessoas que estava na reunião não se prontificaram em ceder uma terra para sediar a obra. Seu Crispin e o cunhado Roberto Xavier, que não estavam na reunião, souberam do ocorrido no dia seguinte. Ficaram preocupados e então procuraram a igreja, quando Seu Crispin ofereceu parte de sua terra para a construção da cisterna. ?Se tenho 10 hectares e não uso toda a terra, então posso doar uma parte para quem precisa fazer um plantio?, falou o agricultor.

O encontro foi coordenado por Iraides Leite, que coordena o programa de construção de cisternas P1+2 através do TP BNDES, para a produção de alimentos nos municípios de Paes Landim, Floresta do Piauí e São Francisco de Assis do Piauí. Com o encontro de pedreiros(as), a Obra Kolping do Piauí fortalece a integração da categoria e reforça a importância destes profissionais para o desenvolvimento do Semiárido.

Alguns dos pedreiros levaram para o encontro suas mulheres e filhos, o que demonstra também uma consciência em relação à necessidade de realização de um trabalho educativo do ponto de vista da educação contextualizada e voltada para convivência com a seca. "Agora as famílias e os jovens estão compreendendo que é possível conviver com a seca e não combater a seca, como muitos defendiam com o intuito de tirar proveito político e econômico", falou Raimundo João da Silva, coordenador Estadual da Obra Kolping.

O presidente da Obra Kolping do Piauí, Francisco Machado de Santana, que prestigiou o encontro e o evento cultural, disse que a entidade está muito feliz por fazer parte de um programa que está ajudando as famílias a conviverem melhor com o Semiárido. Segundo ele, o exemplo do Seu Crispin e da comunidade Gatinhos é uma comprovação de que a região tem um grande potencial produtivo e conta com muitas pessoas trabalhadoras e solidárias.

O evento cultural realizado na noite de sábado contou com a presença do prefeito Genilvado Santos Irineu e de representantes do Sindicato dos Trabalhadores Rurais e Trabalhadoras Rurais de São Francisco de Assis e do vice-prefeito de Porto, Raimundo Ferreira, que é vice-presidente da Obra Kolping do Piauí.

Além da entrega de certificados para os participantes, foi realizado o sorteio de uma antena parabólica entre os pedreiros e feita uma homenagem ao agricultor Crispin Francisco Pereira, pelo desprendimento e solidariedade, traduzida com a doação de terra para a construção de cisterna para a produção comunitária de hortaliças.










































Tópicos
Compartilhe
Google Whatsapp
Siga-nos

veja também

Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar