A Prefeitura Municipal de Barras acionou o Ministério Público do Estado do Piauí (MPPI), na tarde desta segunda-feira (26), requerendo a abertura de investigação para apurar ocorrência de eventual irregularidade em contratação de prestadora de serviço denunciada em matéria publicada pelo Portal Longah.com, nesta manhã. A solicitação de investigação pela gestão municipal de Barras tem como objetivo reafirmar o compromisso com a transparência e a correção no trato da coisa pública. 

De acordo com a Procuradoria do Município de Barras, foi enviada, juntamente com o Ofício nº. 085/2020-GAB/PMB, documentação que comprova que a pessoa indicada na matéria em questão prestou serviço, em substituição a funcionário no gozo de férias, única e exclusivamente no mês de maio de 2018 e que fora o valor devidamente empenhado, pago mediante emissão de nota fiscal e via transferência bancária de titularidade da prestadora do serviço.

O prefeito municipal de Barras, Carlos Monte, ressalta a necessidade da solicitação de investigação por parte do MPPI da denuncia apresentada na matéria jornalística supracitada. “Nossa gestão sempre foi pautada na transparência e no princípio da legalidade; por temos a certeza do denodo com a coisa pública, solicitamos a investigação por parte do Ministério Público e já enviamos todos os documentos que comprovam a legalidade das nossas ações”, afirmou.

Entenda o caso

Na manhã desta segunda-feira (26), o portal Longah.com publicou matéria intitulada “ESCÂNDALO! Doméstica se revolta ao descobrir que foi funcionária fantasma da prefeitura de Barras”, em que denuncia que a senhora Alda Maria da Silva seria contratada desde maio de 2018 pela Prefeitura de Barras, mas que esta só teve conhecimento do fato após tentar receber benefícios do INSS.