A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) realizou ontem leilão de 16 linhas de transmissão e 13 subestações em oito Estados e no Distrito Federal.

O Piauí foi contemplado no ?Lote C? arrematado pelo Consórcio Big Energia por R$ 31,5 milhões, com deságio de 13,46% em relação à Receita Anual Permitida (RAP) inicial de R$ 36,5 milhões estabelecidos pela Agência.

O ?Lote C? é composto por cinco linhas de transmissão ? somando 418 km - e cinco subestações no Sul do Piauí e Oeste da Bahia. O empreendimento deve gerar 1.153 empregos diretos e a previsão de entrada em operação comercial é de 36 meses.

No Piauí, foi leiloada a construção de 295 km de linhas de transmissão de 230 kV. Desses, 153 km no trecho de Gilbués a Bom Jesus; e mais 142 km de Bom Jesus a Eliseu Martins.

Serão instalados também um compensador estático na Subestação Energética de Eliseu Martins e dois novos pátios de 230 kV e 69 kV na Subestação Energética de Gilbués II. O leilão contemplou ainda a construção da Subestação Energética de Bom Jesus II.

A RAP é a receita a que o empreendedor terá direito pela prestação do serviço de transmissão a partir da entrada em operação comercial das instalações.

A Receita Anual Permitida (RAP) de referência máxima a ser paga aos empreendedores, determinada no edital, era de R$ 133 milhões. Venceram os proponentes que apresentaram o menor valor por lote de RAP.

Ao todo, 10 empresas e nove consórcios se candidataram para concorrer aos sete lotes de transmissão e subestações do Leilão de Transmissão nº 02/2013 na BM&F Bovespa, em São Paulo.

O leilão contou com sete lotes, compostos de 1.580 quilômetros (km) em linhas de transmissão e de subestações com um total de 3.215 mega-volt-amperes (MVA) de potência.

As novas instalações vão demandar investimentos da ordem de R$ 1,2 bilhão com geração de 4.790 empregos diretos. O prazo de conclusão das obras será de 24 a 36 meses e os contratos de concessão são de 30 anos.

CONSÓRCIO - A BIG Energia é formado pelo Fundo de Investimetno em Participação - FIP Caixa Milão (60%), Bimetal Energia (35%) e Geoenerga Soluções de Sistemas de Energia (5%). O FIP Caixa Milão foi formado pela holding J&F, do frigorífico JBS, e é administrado pela Caixa Econômica Federal.fonte ananias ribeiro