Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

Prefeito João Luiz recebe documento da Agrespi sobre a problemática da água no município

Prefeito João Luiz recebe documento da Agrespi sobre a problemática da água no município
Prefeito João Luiz recebe documento da Agrespi sobre a problemática da água no município |
Compartilhe
Google Whatsapp

Na busca de soluções para a problemática da distribuição de água potável no município de Monsenhor Gil, contando com alguns parceiros, o prefeito João Luiz acaba de receber um documento estudo que aponta soluções para médio e longo prazo, por parte da Agespisa, órgão responsável pela distribuição e comercialização da água tratada na área urbana do município. 

Em decorrência ao relatório que a Agrespi fez sobre a situação do abastecimento de  água em Monsenhor Gil, prefeito mais Agespisa definindo um local para doação para citada companhia construir um poço e um reservatório, resolvendo de vez a questão do abastecimento do bairro Cachoeira e adjacências. Este relatório só foi possível graças ao empenho pessoal de um filho da terra, hoje na diretoria da agência reguladora Agrespi, Zé Noronha. 

Relatório da Visita de Inspeção ao Sistema de Abastecimento de Água de Monsenhor Gil 

Data da Visita: 28-08-2019

Participantes: 

Agrespi: José Medeiros de Noronha Pessoa - Diretor de Saneamento e Infraestrutura e José William Trindade - Diretor Energia e Gás Canalizado; Agespisa: João Rodrigues de Sousa – Chefe do Escritório de Monsenhor Gil; Prefeitura de Monsenhor Gil: Mateus da Silva Abreu -Técnico em Eletricidade.

1. Introdução e objetivo

A visita de inspeção técnica dos diretores da Agencia Regulação dos Serviços Delegados do Estado do Piauí - AGRESPI a cidade de Monsenhor Gil-PI foi motivada pelas constantes reclamações da população nas redes sociais, publicações em portais e denúncia verbal, sobre problemas recorrentes na distribuição de água e agravados nas últimas semanas. A visita teve como objetivo a verificação “in-loco” do funcionamento do Sistema de Abastecimento de Água - SAA da sede do município, executado pela Águas e Esgotos do Piauí - AGESPISA.

A Agrespi por força da Lei nº 7.049/2017 tem a prerrogativa de regular e fiscalizar todos os serviços delegados como o saneamento básico, energia, gás canalizado, transporte e infraestrutura geral do Estado do Piauí.

2. Diagnóstico do SAA: 

2.1 Composição do sistema de abastecimento - SAA:

o O sistema é abastecido por água subterrânea que é captada através de quatro poços tubulares em funcionamento e dois desativados, assim descritos: Poço nº 01, situado na rua Cedro, bairro Cedro, vazão explotada de 7.000 litros por hora e injeção de hipoclorito de sódio para a desinfecção;

 Poço nº 02, situado na rua Manoel Faustino, centro da Cidade, vazão explotada de 8.000 litro por hora e injeção de hipoclorito de sódio para a desinfecção;  Poço nº 03, situado na rua Cedro, bairro Cedro, desativado, capacidade para explotação de 6.000 litros por hora;  Poço nº 04, poço do Chafariz, situado na rua José Alves, bairro Centro, desativado, capacidade para explotação de 8.000 litros por hora;

 Poço nº 05-situado no bairro União, bomba instalada de potência 12,5 CV e vazão de 35.000 litros por hora e injeção de hipoclorito de sódio para garantir a desinfecção da água na rede; Poço nº 06, situado na rua José Miguel, bairro Cachoeira,bomba instalada de 12,5 CV, vazão explotada de 29.000 litros por hora e injeção de hipoclorito de sódio para a desinfecção;

 O SAA conta com dois reservatórios assentes com capacidade de 110 m3 (R3), situado no Bairro União e outro de 220 m3(R2), situado no bairro Cedro, perfazendo um total de 330 m3 de capacidade de armazenamento. Os dois reservatórios que funcionam por compensação, dificilmente, pela atual situação, conseguem encher completamente;o A rede de distribuição que foi implantada na década de 70 e, ao longo do tempo contou com sucessivas ampliações, perfaz hoje um comprimento aproximado de 24.000 metros de rede com diâmetros de tubulação variados;

O número de ligações atendidas e ativas pelo sistema é de 2.106unidades, sendo 1.981 residenciais, 56 comerciais, 26 industriais e 43 públicas, dados fornecidos pela Agespisa, quadro em anexo;2.2 Quantidades e qualidade da água fornecida Atualmente é bombeado através dos poços referidos anteriormente cerca de 79.000 litros por hora para atender as 2.106 ligações, ou seja, 37,52 litros/hora.ligação. Considerando uma perda média da AGESPISA no Estado do Piauí de 50% do volume produzido por vazamentos nas tubulações e no sistema de medição por falha nos hidrômetros ou ligações clandestinas, tem-se o valor de 18,75 litros/hora.ligação disponibilizados pra população da sede do município.  Sobre a qualidade da água fornecida, o escritório da Agespisa faz coleta e análise em todos os poços com uma frequência mensal. 

Os resultados são encaminhados para a Vigilância Sanitária do município e posteriormente encaminhadas para a Secretaria de Saúde do Estado do Piauí para serem inseridos no banco de dados do SISAGUA - Sistema de Abastecimento de Água. Pelos resultados analisados para o mês de julho de 2007, fichas em anexo, o Cloro Residual se apresenta acima de 1,5 mg/l, como ausência de Coliformes Totais e os outros parâmetros se mantêm dentro do padrão de potabilidade conforme Portaria n0 2.914/2011 do Ministérios da Saúde. 

3. Funcionamento do Sistema-Problemática:

 O sistema funciona initerruptamente buscando atender a população de todos os bairros da sede do município: União, Incosa, Gruta de Areia, Vila Nova, Portal dos Eucaliptos, Vila Rica, Centro I e Centro II, Cedro, Cachoeira, Recanto das Palmeiras, Menino Deus e Podóia. Os bairros que apresentam maiores problemas de abastecimento são: parte do Cachoeira, Recanto das Palmeiras e Menino Deus, em virtude de serem localizados em regiões topograficamente desfavoráveis, situados em cotas mais altas. Os usuários desses bairros citados sofrem constantemente com falta de água, só chegando em determinadas horas do dia ou noite, isto quando não acontece de ficarem até 5 dias sem receber o produto. E mais, quando por algum motivo há falta de suprimento de energia para acionamento das bombas nos poços, são eles os últimos a receberem água quando o sistema entra em carga novamente. Nos outros bairros constatou-se que o problema também ocorre, mas de uma forma menos frequente e com a reconstituição mais rápida do fornecimento.

4. Conclusões e recomendações (Prognósticos):

RECOMENDAMOS a seguir as Medidas Técnicas a serem executadas pela AGESPISA para resolver os problemas advindos do funcionamento do Sistema de Abastecimento de Água-SAA da sede do município de MONSENHOR GIL. As Medidas foram separadas em Medidas Imediatas (urgentes), a fim de atender a população nos meses mais quentes do ano (B-R-Ó-BRÓ), Medidas de Médio Prazo (mediatas) e 

Medidas a Longo Prazo, são elas:

4.1 Medidas imediatas-urgentes:

1) Colocar em funcionamento o Poço nº 03, situado na rua do Cedro, bairro Cedro e o Poço nº 04 (poço do Chafariz), situado na rua José Alves, bairro Centro. Através destas medidas urgentes acrescentar-se-ão ao sistema mais 

14.000 l/h de vazão;

2) Melhorar as condições de operação no Poço nº 05, bairro União, que é a base de todo o sistema de fornecimento de água. A bomba instalada de 12,5 CV está situada a uma distância de mais de 200 metros do transformador de 75 KVA. Como consequência da distância, do desequilíbrio das fases, da bitola dos cabos de baixa tensão da rede de distribuição de energia que alimenta a  bomba, invariavelmente, há queda de tensão para valores abaixo de 380V. No momento da visita, efetuou-se medições de tensão e constatou-se valores de até 348V entre fases. Por sua vez, a bomba dispõe de proteção automática e se ocorrerem tensões abaixo dos valores especificados pelo fabricante, o sistema não entrará em funcionamento, causando problemas sérios no SAA de Monsenhor Gil. Há necessidade para garantia do funcionamento contínuo da bomba, que seja feita uma ligação direta do transformador por cabos multiplexados, dimensionados para tal e fazer o equilíbrio das fases da área de  transformação. Somente aumentar a capacidade do transformador já instalado não resolve o problema da variação da tensão;

3) Efetuar convênio com a Prefeitura Municipal de Monsenhor Gil para colocar em funcionamento um Poço existente no Estádio de futebol Artusão, perfurado recentemente, com vazão de 8.000 litros/hora e água de boa qualidade para fins de potabilidade. Ao interligá-lo na rede de distribuição existente tem-se a garantia de atender diretamente os bairros Recanto das Palmeiras, Menino Deus e Podóia, os mais problemáticos do SAA;

4) Implantar um programa específico para diminuição das perdas de água para os níveis aceitáveis nacionalmente em torno de 25% no sistema de distribuição com redução de desperdícios, corrigindo vazamentos, substituindo hidrômetros defeituosos e evitando ligações clandestinas;

4.2 Medidas de Médio Prazo (mediatas):

1) Implantar uma subestação aérea de 13.8 KV/30 KVA na Casa de Bombas doPoço n005, que é a base de fornecimento de água de todo o sistema, visando dobrar sua capacidade de explotação para 70.000 litros por hora, baseado em testes de bombeamento realizados, mas não nos apresentados, informação prestada pelo chefe do escritório Sr. José Rodrigues de Sousa;

 4.3 Medida de Longo Prazo:

1) Construir um Reservatório com capacidade mínima de 100m3 a ser implantado no bairro Menino Deus, aonde se encontram as maiores cotas  opográficas;

2) Executar um estudo de redimensionamento de toda a rede hidráulica com a definição de anéis de abastecimento com o intuito de equilibrar a distribuição de água nos bairros, já que a injeção direta na rede causa problemas de pressões negativas;

3) Perfurar de um novo poço no bairro Menino Deus para alimentar diretamente no reservatório, a fim de resolver a situação caótica deste bairro e os outros circunvizinhos;4) Implantar um Programa de Eficiência Energética no sistema de bombeamento; 5) Aprimorar o nível de qualidade de água fornecida aos usuários; 6) Aumentar os índices de atendimentos em abastecimento de água;

O documento também foi enviado aos vereadores do município e lido na sessão de sábado  (14), recebendo elogios e algumas considerações, a exemplo do vereador presidente do poder legislativo municipal, João Abreu  Filho. Segundo ele o documento poderia ser acrescido de alguns pontos que trate e aponte soluções para o quesito turbidez da água, um dos itens reclamados pela população constantemente. "Parabenizo os entes envolvidos na elaboração deste robusto documento, mas queremos colaborar apontando pontos que possam ter passado despercebido por este levantamento ", afirmou o vereador. 

Teresina,04 de setembro de 2019

Adv. Luiz Mauro Cordeiro de Araújo Eng. Civil José Medeiros de Noronha Pessoa

 Diretor Geral Diretor Saneamento, Transporte e Infraestrutura

Eng. Eletricista José William Trindade Carvalho

 Diretor de Energia, Comunicação e Gás Canalizado


Tópicos
Compartilhe
Google Whatsapp

veja também

Localização

Definir a localização padrão

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Fique por dentro

Receba notícias quentinhas diretamente no seu whatsapp

Continuar

Falta pouco, agora escolha as categorias que deseja receber notícias

Aperte (ctrl + clique) para selecionar vários
Pronto!

Agora você passará a receber novidades diretamente no seu whatsapp.

Termos de uso

Texto

Política de privacidade

Texto

×