Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore

Projeto Viva o Semiárido será lançado em Oeiras

Projeto Viva o Semiárido será lançado em Oeiras
Lúcia Araújo anuncia projeto viva semi árido | Divulgação
Compartilhe

O Projeto Viva o Semiárido, programa voltado à melhoria do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), será lançado dia 13 de maio, no município de Paulistana, e em seguida, nos dia,18 de maio no município de Oeiras na Câmara Municipal. O projeto atuará em quatro territórios de desenvolvimento no Piauí e irá abranger 32 municípios do Semiárido do Estado.



A iniciativa receberá recursos da ordem de US$ 39 milhões, investidos através do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (Fida), entidade ligada à Organização das Nações Unidas (ONU), que hoje atua no Brasil através do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), com a contra partida do Governo do Estado, através da Coordenadoria de Convivência com o Semiárido, Instituto de Assistência Técnica e Extensão Rural do Piauí (Emater-PI), Secretaria da Educação e Cultura (Seduc), Secretaria do Trabalho e Empreendedorismo (Setre), Secretaria do Planejamento (Seplan) e Coordenadoria de Comunicação Social (CCom).



O Viva o Semiárido irá dar suporte aos principais arranjos produtivos da zona do Semiárido piauiense, com destaque para produção e industrialização do mel, caju, mandioca e outras cadeias de produção que asseguram maior possibilidade de emprego e incremento na renda dos piauienses que habitam os territórios da Serra da Capivara, Vale do Rio Guaribas, Vale do Rio Canindé e Vale do Rio Sambito.



O projeto trabalha prioritariamente em quatro eixos: Desenvolvimento Produtivo, Educação Contextualizada, Desenvolvimento Interinstitucional e Gestão de Projetos.



A coordenadora de Convivência com o Semiárido, Lúcia Araújo, explicou que o Viva o Semiárido alcançará um público composto por produtores rurais, mulheres, grupos étnicos (quilombolas) e jovens na faixa etária de 16 a 29 anos. ?A meta é atender aproximadamente 22 mil famílias entre os anos 2010 e 2017?, afirma.




Tópicos
Compartilhe

veja também

Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar