A Câmara Municipal de São João do Arraial aprovou na sessão do último dia 03/05 um requerimento de autoria do Vereador Erismar Nunes (PRP), onde o mesmo solicita providências junto ao Ministério Público Estadual para obter uma relação dos sócios da Colônia de Pescadores de São João do Arraial.

Colônia de pescadores de São João do Arraial envolvida em suspeita de fraude no INSS - Imagem 1O pedido é baseado na suspeita de que a colônia de pescadores tenha incluído entre seus sócios dezenas de pessoas sem qualquer vínculo com a atividade pesqueira e que usam de fraude para acessar ao “seguro defeso”, uma espécie de Seguro-Desemprego do Pescador Artesanal, que paga cerca de 4 mil reais por ano a cada suposto pescador.

O Vereador Erismar Nunes fundamenta seu requerimento na forte suspeita de que a colônia de pescadores estaria fornecendo documentos e registrando como pescadores pessoas que não laboram na atividade pesqueira ou não possuem os requisitos legais para obtenção do benefício. A fraude fruto da atuação criminosa de algumas colônias de pescadores tem causado enormes prejuízos ao INSS.

As suspeitas começam quando olhamos a relação de beneficiários no portal da Transparência do Governo Federal e quase não encontramos pessoas conhecidas da população de São João do Arraial, mas sim, de outros municípios, que vivem de atividades completamente diferentes da de pescador artesanal.

As suspeitas aumentam na medida em que o presidente da colônia, em momento algum da sua vida, ou pelo menos que seja do conhecimento popular em São João do Arraial, teve qualquer envolvimento com a atividade de pesca artesanal enquanto meio de sobrevivência, pelo contrário, o presidente é o vereador Francisco Araújo do PSDB de São João do Arraial, também conhecido pela alcunha de Cajé.

Cajé é bastante conhecido da população por ser protagonista de vários escândalos, entre eles está o espancamento de uma menor (ver matéria relacionada) que se negou a ter relações amorosas com o mesmo. Outro caso escandaloso envolvendo o vereador, é o caso o que, o mesmo ganha a confiança em um relacionamento com uma mulher, para poder vender seus pertences pessoais e depois   abandona a mesma. O caso foi parar na delegacia.