Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore

Descaso em Delegacia acarreta aborto

Descaso em Delegacia acarreta aborto
Na foto: Laura após ter sido espancada. | Raimundo Barbosa
Compartilhe

Na noite da ultima quarta-feira (13), a senhora Laura Maria da Silva de 32 anos foi espancada brutalmente por3 adultos e 2 adolescentes no bairro campestre em Valença do Piauí, sem ter direito de defesa.

O mais interessante é que ao ser acionado, a policia local, não investigando os fatos,o que parece ser um costume, prendeu a referida senhora, não lhe prestando socorro, deixando-a sangrar em uma das celas da delegacia até abortar um feto de 2 meses.

Na tarde do dia seguinte, por volta das 14hs e 30 min é que a senhora Laura fora ouvida pelo delegado municipal que a encaminhou ao hospital regional para ser-lhe realizado o exame de corpo delito, onde o Dr. Jarbas Matias constatou o aborto e o espancamento.

A senhora agredida procurou o Conselho Municipal da Mulher, que lhe prestou esclarecimento, alegando que provavelmente o aborto fora provocado não só pelo espancamento, ma na mesma proporção, pela ausência de socorro.

Em entrevista ao portal meionorte.com a Presidente do Conselho Municipal da Mulher Dra. Rolandia disse ?É lamentável que ainda hoje nos deparemos com situações dessa natureza, pois torna-se inadmissível uma atitude como a dos agressores, por motivo fútil, venha agredir uma cidadã, mais lamentável é ver o descaso da policia para com o ser humano, posto que ainda que a senhora Laura fosse culpada, tinha todo o direito de ser atendida imediatamente.Fato interessante é que não fora apurado o agressor inicial ou ainda o motivo da agressão, já se escuta a primeira versão e de imediato prende, é habito da policia prender para depois investigar?. Declarou a Presidente do Conselho que asseverou que irá apresentar um relatório completo do verdadeiro motivo da agressão e ainda pedir providencia a Promotora de Justiça no sentido de apurar a conduta da Policia como um todo.

Texto: Conselho Municipal da Mulher


Tópicos
Compartilhe

veja também

Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar