Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore

Cantor brasileiro barrado na Espanha

Pyterson trabalha em projetos sociais com artistas como Gabriel O Pensador

Compartilhe

Brasileiros continuam queixando-se de tratamento descortês, agressivo e até brutal ao qual são submetidos por policiais no Aeroporto Internacional de Barajas, em Madri.

O cantor de hip hop Pyterson Batalha diz que ficou 50 horas preso numa sala e que foi submetido a constantes interrogatórios.

Ele seguia do Brasil para Roma, na Itália, onde mora a namorada. Na conexão em Madri, o cantor acabou retido pela imigração.

Pyterson trabalha em projetos sociais com artistas como Gabriel O Pensador.

Ele afirma que atendeu às exigências das autoridades, no Aeroporto de Madri. Tinha documentos, passagem de ida e volta, reserva em hotel e dinheiro suficiente para a viagem. Mesmo assim foi deportado, no último dia 5.

Mas para o serviço de imigração espanhola, Pyterson não cumpriu todas as exigências da Comunidade Européia. A embaixada da Espanha, em Brasília, informou na noite desta quinta-feira (15) que o cantor não tinha reserva em hotel e levava apenas 60 euros e pouco de mais de 400 reais no bolso.

Guinga

Em relação a um outro caso, em que houve até agressão física, a embaixada vai esperar um relatório da polícia espanhola para se pronunciar.

O compositor carioca Guinga, que já teve canções gravadas por Elis Regina e Chico Buarque, voltava de uma viagem da Itália. Depois de uma turnê, pegou um avião em Roma no dia 9 de janeiro. Na conexão no Aeroporto de Madri começaram os problemas.

Ele conta que pouco antes do embarque, quando passava os pertences pela esteira de raio-x, um casaco sumiu. Na roupa estavam dinheiro e todos os documentos.

Segundo Guinga, os policiais o mandaram procurar a embaixada brasileira, que estava fechada porque era sábado.

?Falei com uns 20 policiais diferentes. Eu já não agüentava mais. Aí eu me exaltei, falei alto com o policial. Nisso eu tomei um soco na boca, que me quebrou dois dentes. Diante dessa situação, só me restou chorar?, relata o compositor.

Guinga ficou duas horas no aeroporto até encontrar o casaco numa lata de lixo, sem o dinheiro. Mas com a passagem e o passaporte conseguiu voltar ao Brasil.

?Que isso não se suceda com nenhum outro brasileiro, com nenhum ser humano?, diz.


Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar