Uma crian?a de nove meses foi espancada com um murro e quebrou a

clav?cula durante a desocupa??o, autorizada pela Justi?a, de agricultores que moravam h? mais de 60 anos na regi?o da fazenda Correntino, na zona rural da cidade de Bom Jesus, no Sul do Piau?. A agress?o contra a crian?a foi a mais grave, mas casos ainda mais s?rios ocorreram durante a desocupa??o.

O delegado de Bom Jesus, Raimundo Fernandes Oliveira, disse que o fazendeiro Abr?o Ideu e seu filho Kleber Ideu s?o acusados de

amarrarem e levarem para o centro da cidade 25 trabalhadores rurais em duas caminhonetes.

Segundo ele, ap?s o cumprimento de um interdito proibit?rio, cumprido pelo oficial de Justi?a da Comarca de Bom Jesus, Roseno, e a Pol?cia Militar, os trabalhadores despejados levaram o fot?grafo Jos? Wellington,

para documentar os preju?zos causados pelo despejo.

Jos? Wellington teve sua c?mera tomada ? for?a e espancado. Ele ficou com hematomas no rosto, nos bra?os, nas pernas e nas costas e foi levado, amarrado, em cima de caminhonete, para ser atendido no Hospital de Bom Jesus.

O delegado Raimundo Fernandes Oliveira afirmou que o agricultou Jos? Augusto sofreu fraturas no corpo por causa do espancamento. Ele confirmou que, pelos depoimentos dos trabalhadores expulsos de 22 mil hectares de terras, a crian?a de nove meses foi atingida por um soco, que iria ser desferido por um dos empregados da fazenda em sua m?e. ?O soco

seria na m?e, mas atingiu a crian?a. Os exames confirmaram que sua clav?cula foi quebrada?, declarou Raimundo Fernandes Oliveira.

Durante o despejo, um dos empregados da fazenda colocou uma arma na cabe?a da adolescente D.P.S, de 17 anos, ordenando que deitasse

no ch?o e tirasse a roupa. O estupro n?o foi praticado porque os trabalhadores interviram afirmando que a garota era ?ainda uma menina?.

Raimundo Fernandes Oliveira afirmou que j? ouviu na Delegacia de Bom Jesus o fazendeiro Abr?o Ideu, que ? pecuarista do Estado de Goi?s, e seu filho Kleber deu. ?Depois do inqu?rito, vamos solicitar seu indiciamento?, declarou o delegado, acrescentando que dois empregados da fazenda que

participaram das agress?es est?o foragidos.