mais

Homem é condenado a 31 anos de prisão por assassinar ex-esposa com Covid-19

A vítima se recuperava da Covid-19 em casa quando foi espancada a pauladas pelo agressor na frente do filho, de 10 anos, segundo denúncia do Ministério Público

Ednaldo Alves da Conceição, de 44 anos, foi condenado pelo Tribunal do Júri a 31 anos de prisão por assassinar a ex-companheira, Silvana Magalhães de Souza, de 35, em Boa Vista. O crime aconteceu no bairro Laura Moreira, na zona Oeste da cidade, em maio do ano passado.

A vítima se recuperava da Covid-19 em casa quando foi espancada a pauladas pelo ex na frente do filho, de 10 anos, segundo denúncia do Ministério Público de Roraima (MPRR) à Justiça.

Chegou a ser internada

A operadora de caixa Silvana chegou a ser internada no hospital, mas não resistiu.  Ela e o acusado tinham sido casados por 10 anos e já tinha sido agredida pelo ex outras vezes.  

"Ednaldo e Silvana viveram juntos, mas estavam separados há alguns anos, porém, residiam em imóveis localizados no mesmo terreno. A vítima já tinha medida protetiva de urgência contra o ex-companheiro devido a ameaças anteriores", informou o MPRR.

Feminicídio 

Como o crime ocorreu no contexto da violência doméstica, o acusado foi condenado por feminicídio, com os agravantes de ter sido cometido na frente do filho e em meio à pandemia, quando a "vítima enfrentava situação particular, tentando se recuperar da Covid-19".

"Ednaldo foi condenado por ameaça e homicídio qualificado, já que o crime foi praticado por motivo torpe, meio cruel e praticado num contexto de violência doméstica [feminicídio]. A pena foi aumentada por ter sido praticado na frente do filho da vítima e em descumprimento de medidas protetivas de urgência", detalhou o MPRR.

Cumprimento da pena

A pena total aplicada foi de 31 anos, 5 meses e 9 dias de reclusão. Ele estava preso preventivamente desde a época do crime, permaneceu preso durante o processo e agora inicia o cumprimento da pena.

“Infelizmente, os crimes contra as mulheres, especialmente os feminicídios, são corriqueiros no nosso estado, apesar do endurecimento da lei e das penas. O Ministério Público está atento e lutando diariamente para que os agressores sejam devidamente punidos. Essa condenação a uma pena superior a 31 anos deve servir como exemplo de punição e prevenção”, destacou o promotor de Justiça do Tribunal do Júri, Igor Naves.

Cabe recurso

A decisão cabe recurso, mas o réu recorre preso. À época, o caso foi registrado pela Polícia Militar na Delegacia Especializada de Atendimento a Mulher (Deam). Quando foi morta, Silvana tinha uma medida protetiva contra o ex que havia sido expedida há menos de dois meses.

Mulher foi assassinada pelo ex-companheiro na frente do filho Mulher foi assassinada pelo ex-companheiro na frente do filho 

Tópicos

comentários

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Desbloquear Notificações

Como desbloquear notificações

Na barra de endereço, clique no cadeado e em Notificações escolha a opção permitir, como na imagem abaixo

desbloqueio de notificação push

Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail