Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

Juíza classifica como sórdida a participação de Macarrão no assassinato de Eliza; veja!

JUíza lembrou que não houve condições para a vítima se defender.

Juíza classifica como sórdida a participação de Macarrão no assassinato de Eliza; veja!
Julgamento de Macarrão. | Reprodução
Compartilhe

A juíza Marixa Fabiane Lopes Rodrigues descreveu, na sentença de nove páginas, como sórdida a atuação de Luiz Henrique Romão, o Macarrão, no crime contra Eliza Samudio. Macarrão foi condenado a 15 anos de prisão por sequestro, cárcere privado e morte da modelo, na última sexta-feira.

No documento, a magistrada lembra o atentado que Macarrão e Bruno fizeram contra Eliza ainda grávida, quando deram um remédio para a jovem perder o bebê. "Não conseguiu acabar com a vida que se iniciava, todavia, não desistiu das investidas contra Eliza, tanto que a sequestrou no Rio de Janeiro e a trouxe cativa para o sítio em Esmeraldas, onde a deixou por quase uma semana esperando a operacionalização de sua morte", descreve.

Em outro trecho do documento, a magistrada escreveu que Luiz Henrique, "apesar de ter esposa e filhas, deixou a família para se deleitar das promiscuidades que a face obscura do mundo do futebol proporcionava-lhe". Ao confessar o crime, Macarrão acusou o goleiro Bruno, o próximo a sentar no banco dos réus, de ser o mandante.

A juíza Marixa também retrata no texto a gravidade e o temor que o crime causou na sociedade. "Não se pode perder de vista a gravidade concreta dos delitos, indicada pelo "modus operandi" com que os crimes foram praticados, como no caso em que, além da violência perpretada contra Eliza Samudio, há ainda, a perversidade com a qual foi destruído e ocultado o seu cadáver, impedindo, inclusive um supultamento digno para preservar a sua memória".

Macarrão, para a juíza, ajudou a arquitetar a morte de Eliza. Sobre Fernanda, Marixa escreveu que ela prestou auxílio inestimável, sem se preocupar com a pobre moça.

Fernanda, ex-namorada de Bruno, foi punida com cinco anos em regime aberto por sequestro e cárcere privado de Bruninho e Eliza. Mas não vai para a cadeia.

Como o tempo é sempre o melhor remédio, Macarrão só vai apagar a tatuagem em homenagem ao goleiro Bruno em 2015, quando sair da cadeia e puder fazer várias sessões à laser. Se quiser muito antes, precisará de autorização judicial. Por enquanto, o ?amor verdadeiro? entre os amigos inseparáveis ruiu. Mas as lembranças ainda estão vivas.








Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar