A mãe da pequena Débora Vitória Gomes Soares Batista, de 6 anos, Dayana Gomes, usou suas redes sociais neste domingo (13) para dar sua versão do assalto em terminou com a morte de sua filha, na noite da última sexta (11). Ela afirma que o responsável pelos disparos teria sido um policial, que reagiu à ação criminosa. 

Débora Vitória foi velada e sepultada ontem, sob forte comoção. No relato, a mãe explica ainda que durante o assalto, ela não esboçou reação e entregou o aparelho celular que tinha consigo. Em seguida o suposto policial viu ação e iniciou os disparos. 

Mãe de criança baleada no Ilhotas diz que policial teria efetuado disparos  (Foto: Reprodução)Mãe de criança baleada no Ilhotas diz que policial teria efetuado disparos  (Foto: Reprodução)

Dayana Gomes, que também foi alvejada, ressaltou ainda que o suspeito não chegou nem a puxar a arma da cintura. Um envolvido no crime foi preso horas depois. 

“Tem muita gente dando versão que não é verdadeira. Eu quero falar aqui que eu não reagi, a gente ia sair ilesa disso tudo, mas por irresponsabilidade de um policial que não estava preparado para estar com uma arma na cintura, aconteceu tudo isso. E a minha filha não está mais aqui comigo por  irresponsabilidade. Porque não é todo mundo que tem que estar com uma arma na cintura. Ele estava bêbado. Ele bebe todos os dias na porta da casa dele e ele reagiu. Ele não pensou em mim, não pensou na minha filha e quem estava na frente do bandido. O bandido estava por trás da gente e ele atirou. Ele não mediu esforços para defender nem eu e nem minha filha. O bandido não ia atirar e não e não ia fazer nada com a gente. Eu entreguei o celular e nem arma ele tirou da cintura, ele só mostrou. Ele (policial) veio de lá e eu pedi que ele não atirasse porque o bandido não ia atirar e ele atirou. O primeiro tiro foi da arma dele”, disse. 

 Assista!






Ver essa foto no Instagram










Uma publicação compartilhada por Grupo Meio Norte Comunicação (@meionorte)

Dayane e Débora foram socorridas por vizinhos e encaminhadas ao Hospital de Urgência de Teresina (HUT), mas a criança não resistiu aos ferimentos e faleceu. Horas depois do crime, um homem identificado como Clemilson da Conceição Rodrigues, de 29 anos, foi preso no bairro Vila Ferroviária, zona Sul de Teresina, como principal suspeito do crime.

A mãe ressalta ainda na mensagem que não reagiu e teria sido o policial o responsável pela morte de sua filha. Dayane também agradeceu as mensagens de apoio que tem recebido.

“Imediatamente atingiu minha filha. O primeiro tiro foi dele. Veio dele e ele que matou a minha filha. Ele estava bebendo na porta e ele que veio de lá querendo se amostrar, que estava armado. Foi ele que atirou na minha filha. O bandido que tem é ele. Os dois são errados E eu só estou passando aqui para deixar bem claro que ninguém reagiu a nada, foi o policial que matou a minha filha", destaca Dayane. 

Clemilson foi levado para o Hospital de Urgência de Teresina (HUT) e segue internado no local, após ter passado por um procedimento cirúrgico na perna, onde foi alvejado. Ele segue sob custódia policial. O caso segue investigado pela Polícia Civil do Piauí, através do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

Suspeito de envolvimento no caso foi preso horas depois (Foto: Reprodução/ WhatsApp)Suspeito de envolvimento no caso foi preso horas depois (Foto: Reprodução/ WhatsApp)