O coronel Pinheiro Filho, Comandante da Pol?cia Militar do Estado do Maranh?o, concedeu entrevista coletiva nesta sexta-feira, 22, para explicar sobre a pris?o do soldado militar Waldenir Rodrigues Teixeira, Batalh?o de Miss?es Especiais (BME) e Wandercan Moreira Nunes, major do Batalh?o de Policiamento Ambiental, que estariam envolvidos com contrabando de autom?veis, al?m de com?rcio ilegal de armas e muni??o em S?o Lu?s.

Pinheiro Filho defendeu a Pol?cia Militar afirmando que as armas apreendidas em poder dos policiais n?o pertencem ? institui??o. Ele prefere aguardar os inqu?ritos das Pol?cias Civil e Militar para que os fatos sejam realmente esclarecidos.

- Os policiais ter?o que dar uma explica??o condizente sobre essas acusa?es que foram feitas a eles - comentou.

Com rela??o ao inqu?rito a ser instaurado pela Pol?cia Militar, o coronel adiantou que vai abrir portaria nesta sexta-feira (22), onde ser? indicado um tenente-coronel que ficar? respons?vel pelas investiga?es.

- A gente n?o pode ser hip?crita, mas o fato deixa chocado a institui??o. N?s estamos tranq?ilos porque todos os casos de desvios de comportamento durante o meu comando n?s tomamos as medidas cab?veis. Neste caso, a opera??o foi feita de forma conjunta, com a parceria da Pol?cia Civil. N?o adoto a pol?tica do corporativismo, pois se quisessemos vazar qualquer informa??o, ter?amos avisados aos dois. A den?ncia chegou at? n?s pelo delegado Geral, Jefferson Portela, na segunda-feira (18), de que os policiais estavam sendo monitorados. Ele pediu o nosso apoio e n?s o ajudamos na pris?o dos dois. Queremos separar o que presta e o que n?o presta na corpora??o. N?o estou aqui querendo culpar os militares, pois eles est?o ainda sob suspeitas. Caso seja comprovado o envolvimento deles no crime, ser?o encaminhados para um Conselho de Justifica??o e Disciplina, que vai puni-los ou n?o - esclareceu.

Waldenir Rodrigues Teixeira, Batalh?o de Miss?es Especiais (BME) foi preso na tarde desta quinta-feira, 21, e Wandercan Moreira Nunes, major do Batalh?o de Policiamento Ambiental, na madrugada desta sexta-feira (22). A pris?o ? resultado de uma opera??o conjunta das pol?cias Civil e Militar, em cumprimento a mandados de busca e apreens?o expedidos pela Justi?a.

Com eles foram apreendidos rev?lveres, tr?s espingardas, uma metralhadora, uma escopeta, farta muni??o e v?rios objetos de ouro, al?m de quatro chaves michas de ve?culos (usadas para abri-los sem danific?-los), e mais R$ 4 mil.

Foram apreendidos na resid?ncia do major Wancarden, no Cohafuma, uma submetralhadora de m?ximo poder de fogo, um rifle com luneta, uma espingarda, uma escopeta, carregadores de armas, e uma grande quantidade de j?ias sofisticadas (sete cord?es de ouro, seis pulseiras e treze an?is).

Walnir j? havia sido afastado de suas fun?es anteriormente, mas conseguiu, por meio de a??o judicial, retomar o cargo em 1998. Na ?poca foi preso e afastado por estar conduzindo uma moto roubada. O coronel Pinheiro Filho informou que o soldado estava com pris?o preventiva decretada pela Justi?a, sob suspeita de envolvimento em v?rios assaltos em S?o Lu?s.

Os policiais militares foram presos e autuados em flagrante pela Pol?cia Civil por contrabando e forma??o de quadrilha. A dupla est? recolhida no Comando da Pol?cia Militar, situado no bairro do Calhau.