Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore

Professor volta para prisão em Brasília

O homem é acusado de matar três mulheres em outubro do ano passado

Compartilhe

O professor de educa??o f?sica Paulo Cesar Timponi voltou para tr?s das grades na noite de ontem. O homem acusado de matar tr?s mulheres em outubro do ano passado em um acidente automobil?stico na Ponte JK foi preso, ?s 20h10, nas proximidades do F?rum do Tribunal de Justi?a do Distrito Federal (TJDF). Ele estava na companhia do advogado e de um irm?o. Tinha acabado de sair do pr?dio quando os policiais da Delegacia de Captura Policial Interestadual (DCPI) deram voz de pris?o a ele. Timponi deve seguir na manh? de hoje para o Centro de Deten??o Provis?ria do Complexo Penitenci?rio da Papuda.

A delegada-chefe da DCPI, Mailine Alvarenga, contou que todo o efetivo da delegacia participou da busca pelo professor de educa??o f?sica. ?Assim que tomei conhecimento do mandado de pris?o preventiva, acionei todos meus agentes?, afirmou. Para chegar a Timponi, os policiais passaram a monitorar a fam?lia e amigos dele. A pol?cia descobriu que o professor estava escondido na casa de um amigo no Lago Sul. ?Quando soubemos que ele iria para o TJDF, decidimos efetuar a pris?o?, detalhou Mailine. Em depoimento, Timponi afirmou que n?o tinha se entregado no prazo estipulado pela Justi?a porque pretendia esperar para ver se seus advogados conseguiam reverter a pris?o preventiva.

Um dos advogados acompanhou a pris?o do professor de educa??o f?sica, mas preferiu n?o se identificar nem conceder entrevistas. Ele explicou que o escrit?rio do advogado Eduardo Toledo assumiu o caso na quarta-feira e que uma entrevista coletiva deve ser concedida hoje em hor?rio a ser definido. Timponi preferiu n?o dar nenhuma declara??o ? imprensa no momento da pris?o.

O acidente ocorreu no dia 6 de outubro. O Golf conduzido por Timponi colidiu contra a traseira do Toyota Corolla onde estavam as v?timas Cyntia Cysneiros e as irm?s Altair Barreto e Ant?nia Vasconcelos, no banco de tr?s do autom?vel. Elas foram lan?adas para fora do ve?culo e morreram na hora. Ele foi solto em 1? de fevereiro depois de passar 104 dias na cadeia. Mas o juiz Napole?o Nunes Maia Filho revogou a liminar que o mantinha solto porque ele havia sido condenado por porte de drogas e estava em liberdade condicional. Ontem o Detran -DF cassou a carteira de motorista de Timponi.


Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar