Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore

Suspeitos de estupro em van no Rio ofereceram jovem em uma favela

Homem recusou dizendo que vítima "estava muito estragada", diz delegado.

Compartilhe

Os três suspeitos presos por estuprar, agredir e assaltar um casal de estrangeiros, dia 30, no Rio de Janeiro, ofereceram a jovem em uma comunidade a um homem que recusou a "oferta" alegando que a vítima "estava muito estragada?. A informação foi dada ao G1 pelo delegado Gilbert Stivanello, da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), nesta segunda-feira (8).

Os crimes aconteceram dentro de uma van. O casal - um francês e uma americana - embarcou no veículo em Copacabana, na Zona Sul do Rio, acreditando que seria deixado na Lapa, no Centro. No Aterro do Flamengo, no entanto, outros passageiros foram forçados a descer. No caminho até cidades da Região Metropolitana, o rapaz foi espancado com a chave de roda da van, enquanto a namorada acabou estuprada. A tortura durou seis horas.

Os três maiores - Jonathan Froudakis de Souza, de 19 anos, o "Gordinho"; Wallace Aparecido Souza Silva, de 21, o "Cachorrão" ou "Tarugo"; e Carlos Armando Costa dos Santos, também de 21, o "Baby", foram indiciados por estupro, corrupção de menores e roubo. No sábado (6), um menor foi detido. Ele era cobrador da van e diz ter sido deixado em casa, em Niterói, na Região Metropolitana, após o início das agresssões. Ele será apresentado na 2ª Vara da Infância e da Adolescência nesta segunda.

Segundo o delegado, após deixarem o menor em Niterói, Jonathan e Wallace encontraram Carlos. Ele estava com a namorada e a deixou em casa para embarcar na van. Quando viu o estado em que a americana se encontrava, Carlos chegou a debochar, dizendo aos companheiros que ?não se bate em mulher?. Mesmo assim, partitipou da sessão de tortura e abuso, que foi reiniciada.

Jovem foi oferecida

Ainda de acordo com o delegado, Jonathan, Carlos e Wallace seguiram até uma comunidade próxima a São Gonçalo, onde ofereceram a jovem a um quarto homem, após entregaram um envelope a ele. Segundo depoimento da vítima, o homem olhou para ela com ?nojo? e recusou, dizendo que ela estava "muito estragada". Depois disso, os criminosos voltaram ao Rio para pegar mais cartões das vítimas e realizar novos saques.

Ainda conforme informou Stivanello, o menor negou ter violentado a estrangeira, contudo, estava dentro do carro no começo das ?inúmeras sequências de estupro?. Segundo o delegado, o menor algemou o namorado da vítima e golpeou o rosto do estrangeiro com uma barra de ferro para que os outros pudessem realizar o ato.

?Ele segurou o francês. Atuou como partícipe, tecnicamente, teve participação no estupro. Mas negou isso no termo de declaração. Contudo, pela cronologia, ele estava dentro do carro nos primeiros atos. E já circulou com esse grupo anteriormente para sair para roubar?, afirmou Stivanello, que acrescentou que o jovem informou que, no dia do crime, o grupo estava ?caçando gringos?.

Conforme informou Stivanello, o menor, que não tem antecedentes, foi responsável pelo recolhimento dos pertences dos passageiros e atuava como cobrador da van. ?Mas eles não atuavam apenas contra estrangeiros, roubavam brasileiros também. Acreditamos que vão aparecer novas vítimas deste grupo, devido à exposição na mídia?, declarou o delegado.


Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar