A ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, disse nesta quinta-feira que o governo tem uma boa rela??o com a Venezuela. Ela disse que mesmo que o Brasil tenha alguma diverg?ncia com o pa?s de Hugo Ch?vez, n?o pretende criar antagonismos na Am?rica Latina.

"As propostas do [Hugo] Ch?vez [presidente da Venezuela] sempre ser?o ouvidas pelo governo. N?o queremos uma posi??o de antagonismo", disse Dilma durante sabatina da Folha, em S?o Paulo. "Mas isso n?o significa que iremos concordar com tudo."

A ministra responde a perguntas de quatro entrevistadores e tamb?m da plat?ia. Dilma ? sabatinada por Fernando de Barros e Silva (editor de Brasil da Folha), Renata Lo Prete (editora do "Painel" da Folha), Valdo Cruz (rep?rter especial do jornal) e Eliane Cantanh?de (colunista da Folha).

A ministra n?o quis comentar a situa??o pol?tica da Venezuela, especialmente sobre o cancelamento de concess?es de TV como a RCTV. "N?o nos cabe falar do m?rito", disse. "Mas a situa??o deles ? bem distinta ? nossa."

Dilma ? a sexta a participar do ciclo de sabatinas da Folha neste ano. Antes dela, o jornal sabatinou o climatologista Carlos Nobre (mar?o), o arcebispo de S?o Paulo, dom Odilo Scherer (abril), o prefeito de S?o Paulo, Gilberto Kassab (maio), o ministro da Sa?de, Jos? Gomes Tempor?o (junho) e o economista Delfim Netto (agosto).

Banco do Sul

Em rela??o ao Banco do Sul banco de fomento dos pa?ses da Am?rica Latina, Dilma disse que entende o fato dos demais pa?ses definirem que cada um ter? direito a um voto. Isso ignora a regra comum de que a quantidade de votos deveria ser proporcional ao aporte colocado no banco. "Fizemos isso tamb?m em rela??o aos Estados Unidos, Europa."

O presidente da Venezuela, Hugo Ch?vez, anunciou ontem que o Banco do Sul ser? oficialmente criado na pr?xima segunda-feira, em Caracas.

A ag?ncia de not?cias venezuelana "ABN" informou que Ch?vez fez o an?ncio durante "um recesso da reuni?o da Comiss?o Central de Planejamento" econ?mico da Venezuela, presidida por ele em seu gabinete na noite de ter?a-feira.

Ch?vez disse que esperava a participa??o dos ministros da ?rea econ?mica dos pa?ses-membros no lan?amento da nova entidade regional, mas garantiu que essas autoridades ratificaram que "a sede do Banco do Sul ser? Caracas".

A institui??o financeira deveria ter sido formada at? junho. Em 21 de fevereiro, Ch?vez dissera que ela nasceria oficialmente em "120 dias".

Ch?vez acrescentou que o memorando bilateral "diz que os governos podem aderir em qualquer fase do processo" e previu que Brasil, Bol?via e Equador seriam os primeiros a se juntarem.

At? o momento, os governos de Bol?via, Equador e Paraguai s?o os que se uniram ? nova institui??o financeira. Nicar?gua e Uruguai expressaram seu interesse em ingressar no banco, mas ainda n?o tomaram uma decis?o definitiva.