Em entrevista ao Agora, da Rede Meio Norte, nesta segunda-feira, 30 de maio, o ministro chefe da Casa Civil, Ciro Nogueira, sinalizou que o presidente Jair Bolsonaro (PL) respeitará o resultado, seja qual for, no entanto, demonstrando otimismo que o líder da República se consagrará vencedor no pleito de outubro. 

Ademais, Ciro Nogueira pontuou que Bolsonaro é um ‘democrata’, que defende a Constituição, reafirmando que ele foi eleito em todas as ocasiões pela urna eletrônica. Questionado sobre a chance de um golpe, ele foi enfático, cravando que é ‘zero’. “Possibilidade zero até porque o presidente Bolsonaro ganhou todas as eleições da vida dele nas urnas, como vai ganhar essa”, disse. 

Ciro em entrevista ao Agora (Foto: Wellington Benário)Ciro em entrevista ao Agora (Foto: Wellington Benário)Principal ministro da atual gestão, Nogueira frisou que que quando a população fizer a comparação entre Bolsonaro e Lula, o atual mandatário sairá vitorioso. “Pode ter certeza que quando compararem o que foi feito no atual governo, vão passar a dar apoio no presidente Bolsonaro. No Brasil inteiro estamos atrás só em Minas e no Nordeste”, disse. 

Ciro Nogueira disse que a inflação é o maior problema que o presidente tem enfrentado na sua gestão, atribuindo ao panorama internacional, como a pandemia e a Guerra na Ucrânia.

"O maior problema do presidente Bolsonaro hoje é enfrentar esse problema da inflação, que é em todo mundo; nenhum presidente enfrentou uma pandemia, uma guerra, as pessoas vão parar e dizer: 'Meu Deus, e se não tivesse o Bolsonaro'", comentou.

O ministro da Casa Civil citou o Auxílio Emergencial como uma das grandes ações feitas pelo presidente da República, elencando ainda ações adotadas durante a pandemia para estancar a crise socioeconômica. "Foi capaz de pagar 15 anos de Bolsa Família agora com o Auxílio Emergencial, é fruto de um governo sério, que não visa apenas a questão eleitoral", frisou.

Mortes na Vila Cruzeiro e ação da PRF em Umbaúba

O ministro lamentou as mortes provocadas durante operação na Vila Cruzeiro, no Rio de Janeiro, e defendeu que os fatos sejam esclarecidos rapidamente. "(Vejo) Com muita tristeza, situações que levam a mais de 20 mortos, teve aquela moça que levou o tiro e espero que esclareça rapidamente", disse.

Ciro Nogueira disse que são situações que devem ser enfrentadas investindo em mais segurança pública. "Um país que tem uma criminalidade muito alta, são situações que temos que enfrentar, investindo em policiamento, capacitando pessoas, não temos outra alternativa", afirmou.

Ciro Nogueira em entrevista ao Agora (Foto: Wellington Benário)Ciro Nogueira em entrevista ao Agora (Foto: Wellington Benário)Teto do ICMS

Ciro sinalizou que a proposta que estabelece o teto de 17% do ICMS passará pelo Senado, destacando que os Estados não perderão. De acordo com eles, os governos tiveram uma margem absurda de arrecadação e que toda a sociedade tem se sacrificado. "Os únicos que não se sacrificaram e tiveram uma margem absurda foram os governos estaduais, e isso não tem cabimento, são situações que tem que ser consolidadas, se reduzirem 17% não vao perder 1 real do qe recebiam antes dessa situação", cravou.

O piauiense ainda destacou que alguns parlamentares estão votando apenas devido a proximidade das eleições. "Vamos exigir dos senadores".

Ciro aproveitou para rebater Marcelo Castro (Foto: Wellington Benário)Ciro aproveitou para rebater Marcelo Castro (Foto: Wellington Benário)

Ciro vs Marcelo Castro

O ministro da Casa Civil ainda rebateu as declarações do senador Marcelo Castro, que o acusou de bloquear recursos para o Piauí.

"Isso não é verdade , é uma grande mentira, tanto que chegou na capital quase R$ 540 milhões através da senhora Eliana (Nogueira), pergunte ao Dr Pessoa se não está na conta da Pefeitura", disse.

Ciro Nogueira disse que prioriza todo o Piauí, acusando Marcelo Castro de beneficiar parentes. "Marcelo diz que bloqueei recursos e porque os R$ 250 milhões chegaram a sua famíliam no DER e não foram pra cá, acontece que o senhor priorizou os recursos do DER para licitações da sua família, eu tenho priorizado o Piauí inteiro. Como pode dizer que estou prejudicando meu Estado? É uma inverdade que estão tentando colocar", concluiu.

[email protected]