Faltando apenas um dia do prazo para que a Justiça Eleitoral julgue todos os registros de candidatura, é de surpreender o número de candidatos que desistiram da disputa nas Eleições 2022. O número já chegou a 799. O que mostra que superou a quantidade de desistentes nas eleições gerais de 2018. Naquele ano chegou-se a 770 candidatos que abandonaram a campanha.

As desistências representam 25,3% de todos as candidaturas consideradas ineptas. Sabe-se até o momento que 876 (51,35%) tiveram o pedido de registro negado pela Justiça Eleitoral. Eles não atenderam aos critérios da legislação eleitoral ou apresentaram algum impedimento, incluindo os previstos da Lei da Ficha Limpa.

Eleição deste ano terá maior desistência de candidaturas - Antonio Augusto ASCOM/TSEEleição deste ano terá maior desistência de candidaturas - Antonio Augusto ASCOM/TSE

Lei da Ficha Limpa

São os casos, por exemplo, das duas candidaturas à Presidência da República negadas até o momento: a de Pablo Marçal, que pretendia concorrer pelo Pros, mas não comprovou o apoio partidário necessário; e Roberto Jefferson, presidente nacional do PTB, que foi enquadrado na Lei da Ficha Limpa por sua condenação no caso do Mensalão.

Outro motivo para uma candidatura ser considerada inapta é quando o registro foi cancelado pelo partido, o que ocorreu 13 vezes até o momento. É possível ainda que o pedido sequer seja conhecido pela Justiça Eleitoral, em geral devido alguma irregularidade formal que impede seu julgamento. Neste ano, esse foi o caso de 15 registros.

Números consolidados

De acordo com a atualização mais recente, às 14h deste domingo (11), ainda há, por exemplo, 2.515 candidaturas aguardando julgamento.

Neste ano, há um recorde de pedidos de registro de candidatura em eleições gerais, que chegou 29.163. Desses, a Justiça Eleitoral já deferiu ao menos 24.440. O prazo para que a Justiça Eleitoral julgue todos os pedidos se encerra amanhã (12), incluindo recursos.