O ex-governador e pré-candidato ao Senado, Wellington Dias, foi homenageado nesta sexta-feira, 27, pelo 25º Batalhão de Caçadores como Amigo do Batalhão. Na solenidade, Wellington disse que recebeu essa homenagem não apenas pelo seu trabalho individual, mas de toda uma equipe e destacou a forte integração do Piauí com as Forças Armadas e com o Exército Brasileiro seja nas áreas de obras de construção civil, social, abastecimento de água e no período difícil da covid e em outros momentos de grandes dificuldades, o Exército Brasileiro sempre esteve ladeado com as equipes do Estado do Piauí.

"Também nas situações de segurança, quando precisamos integrar forças estaduais e federais para combater o crime organizado e fazer proteção das fronteiras. Assim recebo a comenda com muita responsabilidade. Com certeza, sei da importância das Forças Armadas e do Exército Brasileiro para o nosso País ", disse.

Sobre a pesquisa eleitoral, Wellington aposta na ideia de um time e garante que acima de tudo há um projeto de estado a ser levado em conta. De acordo com ele, há possibilidades reais de fazer uma bancada muito grande para Câmara Federal. "De 10 vagas é possível eleger 8 deputados e até 9 das vagas existentes. Para a Assembleia Legislativa, das 30 vagas, temos possibilidade de fazer 25 deputados, bem próximo do que fizemos na eleição anterior. Acho que há esperança de o Piauí voltar a ter uma participação nos investimentos do país de forma altiva, planejada, como foi lá atrás quando Lula foi presidente", disse.

É possível alcançar resultado positivo já no primeiro turno

Segundo Wellington, ainda é maio, mas é possível, pela vontade do povo e com Deus no comando, alcançar resultado positivo no primeiro turno. "Claro, a orientação é nada de já ganhou e nada de sapato alto. Muito cuidado e responsabilidade, é preciso ter cuidado com armadilhas e com o desespero que normalmente chega. A quatro meses teremos eleição e a ordem é trabalhar muito e respeitar sua excelência, o povo", disse.

Sobre a vinda do ex-presidente Lula ao Piauí, ele diz que nesta segunda-feira, 30, vai a São Paulo. Ficou acertado que após a instalação da coordenação política, vai trabalhar a definição da agenda. "Vamos organizar uma agenda já neste sábado em São Paulo para discutir o crescimento da fome e do desemprego e, em seguida, para uma agenda no Rio Grande do Sul e Santa Catarina, depois a Região Norte visitando o Pará e o Amazonas e a previsão é que entre os dias 20 a 30 de junho, a expectativa de receber o ex-presidente Lula e o pré-candidato a vice, Geraldo Alckmin ao Piauí dentro de uma agenda Nordeste", diz.