O presidente do Diretório Estadual do PSDB e coordenador da campanha de Sílvio Mendes ao governo, Luciano Nunes, fez nesta terça-feira, 13, durante entrevista à Rede Meio Norte, uma análise da pesquisa Amostragem para governador e disse que resultado de pesquisa não se contesta, aceita, ou quando faz contestação é com outra pesquisa. "Trata-se de um retrato de um momento e cada um tem sua estratégia", afirmou, declarando que o grupo está confiante, pois por onde tem passado, as manifestações de apoios são cada vez maiores e surpreendentes.

Ele disse que neste final de semana, o grupo liderado pelo candidato a governador Sílvio Mendes esteve em Luís Correia, Luzilândia e foram carreatas gigantes. "Paralelo a pesquisa Amostragem, tivemos pesquisa de âmbito nacional dando a Sílvio Mendes uma ampla maioria e isso nos dá mais ânimo e força para seguir em frente. Falta 19 dias para trabalho", disse.

De acordo com o coordenador da campanha, as pesquisas são importantes mas devem ficar em segundo plano. "É primordial discutir a problemática e a situação do estado, como vai enfrentar os desafios. São com propostas e ideias e é isso que Sílvio Mendes tem feito, uma campanha propositiva, bonita", disse.

Luciano Nunes diz que pesquisa não se contesta (Reprodução)Luciano Nunes diz que pesquisa não se contesta (Reprodução)

Mais importante é discutir futuro do estado

Luciano Nunes disse que está sendo discutido o futuro do estado, que tem duas alternativas. "Temos um grupo que está há 20 anos no poder e não tem o que mostrar. Na educação sem resultados, com um programa às vésperas de eleição", disse Luciano.

Na saúde pública, criticou a falta de resolutividade dos hospitais regionais, o fechamento do pronto-socorro do Hospital Getúlio Vargas e o investimento abaixo da média nacional em segurança pública, que tem aumentado a insegurança. O coordenador falou ainda da falta de infraestrutura nas estradas.

Luciano Nunes disse que Sílvio Mendes é a outra opção do piauiense, com experiência de dois mandatos como prefeito, construiu o HUT, a ponte estaiada, com capacidade diálogo com todas as esferas de poder, fez 92 unidades de saúde. "É uma mudança com experiência", disse.

Ele falou que na reta final vai aliar agenda em Teresina por conta de debates, sabatinas e entrevistas, sem deixar de ir a outras cidades e vai concentrar nos municípios maiores. "A pré-campanha foi intensa e permitiu aos candidatos percorrer todo o estado e agora na reta final vamos concentrar nos maiores municípios", disse, declarando que o grupo está confiante na vitória no dia 2 de outubro.