O candidato a governador Rafael Fonteles (PT) encerrou a série de sabatinas da TV Jornal Meio Norte, nesta terça-feira, 27, com entrevista aos jornalistas Arimatea Carvalho e Francy Teixeira.

Desde o dia 12 de setembro já passaram pelo programa Banca de Sapateiro os candidatos Madalena Nunes (PSOL)Geraldo Carvalho (PSTU)Gustavo Henrique (Patriotas)Gessy Lima (PSC), Ravenna Castro (PMN)Lourdes Melo (PCO) e Sílvio Mendes (União Brasil).

Sabatina com Rafael Fonteles (Raissa Morais)Sabatina com Rafael Fonteles (Raissa Morais)

Na sabatina, Rafael Fonteles, disse que recebe o apoio de Louzane Paulo, irmã do ex-prefeito Firmino Filho. “É um apoio muito bem-vindo e oportuno. Admiro muito a história de Firmino Filho e esse apoio de parte da família é muito bom”, disse, que sua candidatura tem as melhores condições para atender as demandas da população como a segurança, saúde, educação de tempo integral. “Estamos com vontade, experiência para resolver os problemas da população”, comenta.

Ao falar do ex-presidente Lula, que tem apoio de outras candidaturas no Piauí, ele disse que o apoio de Lula é importante e no Piauí está claro que o candidato que o presidente Bolsonaro apoia é Silvio Mendes e Joel Rodrigues e disse que o apoio foi declarado para o Brasil e o mundo. “O candidato de Bolsonaro do Piauí é Silvio e Joel Rodrigues. O candidato Coronel Diego só tem a lamentar", afirmou, enfatizando que ele desde a infância tem uma história com o ex-presidente Lula e contar com apoio de Lula é importante”, disse, enfatizando que o povo terá que escolher entre os candidatos Lula e Bolsonaro.

Sobre sua expectativa de votos em Teresina, Rafael disse que a oposição já projetou 200 mil votos de maioria em Teresina, depois reduziu para 100 mil, mais tarde 80 mil. "Nós já viramos em Teresina", disse, relatando que esteve reunido nesta segunda-feira, 27, com 2 mil lideranças comunitárias e movimentos sociais de Teresina. “Ficou evidente o entusiasmo dos líderes na campanha e vamos ter  vantagem de 50 mil votos em Teresina”, disse, declarando que o Piauí terá o primeiro governador de Teresina.

Candidato Rafael Fonteles em sabatina (Raissa Morais)Candidato Rafael Fonteles em sabatina (Raissa Morais)

Economia

Questionado sobre o orçamento e as finanças do Estado para 2023, ele disse que o presidente Lula terá um país em dificuldade. “Teremos um presidente amigo do Piauí e do Nordeste e os próximos 4 anos serão melhores em termos de finanças públicas e investimentos do Governo Federal aqui no Piauí”, comenta.

Secretariado

O candidato disse que a gestão terá perfil técnico e político. “Faremos gestão que cobrará resultado de todas as pastas”, disse, enfatizando que acumula experiência dos setores privado e público.

A cara do secretariado, se chegar ao Governo, será a cara do governador, com muita competência e com perfil técnico e político.

Segurança pública

 Na área da segurança, Rafael disse que fará mais concurso e vai contratar 4 mil homens e mulheres nas forças policiais e a meta é chegar muito próximo do número recomendado pela ONU. “A governadora Regina Sousa vai nomear mil este ano e nós, se Deus quiser, vamos contratar mais 4 mil. Vamos investir em inteligência e tecnologia nas polícias e combater as facções, instalar delegacias e estrutura para combater a criminalidade", afirmou, declarando que a longo prazo, o remédio é investir em oportunidades para juventude, para ela se qualificar, ter acesso à cultura, ao esporte, à educação de tempo integral e ficar longe das drogas e da violência”, disse.

PPP

Rafael Fonteles explicou a importância das PPPs e disse que o estado tem umas parcerias boas que funcionam, como a Piauí Conectado. “Foi feito com investimento dos setores públicos e privados”, disse, citando também o exemplo do Centro de Convenções. “O Patrimônio continua sendo do povo do Piauí, mas é gerido pela iniciativa privada. Vamos continuar apostando com estudos que vão subsidiar todos os projetos de PPPs em cada caso”, disse.

Educação de tempo integral

Fonteles disse que a oposição não tem propostas para educação. “Apenas críticas infundadas. O Programa de Alfabetização de Jovens e Adultos (PROAJA) é um dos maiores programas de alfabetização para reparar um erro histórico e dar oportunidade para quem não foi alfabetizado”, disse. Ele explicou que o pagamento é feito mediante presença e esclareceu que houve um equívoco e não houve pagamento para quem não estudou.

O Programa alcança 200 mil pessoas. "No Auxílio Emergencial  do Governo FEderal 150 mil pessoas mortas receberam dinheiro conforme os órgãos regulares. Oposição critica sem fundamento e não olha para sua própria casa”, disse.

Ele disse que vai dobrar o número de matrículas em tempo integral, com matérias básicas do ensino regular e com currículo profissional. ”O aluno vai aprender mais e terá curso profissionalizante com oportunidade de estágio remunerado. O projeto foi bem desenhado feito por quem entende de educação”, declarou.0

Saúde

O candidato disse que descentralização dos serviços de média e alta complexidade para os hospitais regionais é a palavra de ordem e falou que o Governo do Piauí já iniciou esse processo, citando os serviços de neurocirurgia em Picos, Floriano e Parnaíba. "Já foram salvas mais de 3 mil vidas de pessoas acometidas com traumas neurológicos e foram tratados com sucesso nesses hospitais”, disse, citando que não tinha UTIs no interior e hoje já tem em diversas cidades.

O candidato também falou que vai construir maternidades, vai investir em mutirões de cirurgias e levar mais serviços para os hospitais do interior.

Mimbó

Rafael Fonteles falou que a igualdade racial é um tema importante. “Foi lamentável o preconceito racista do candidato opositor”, disse, enfatizando que na história, o povo negro teve menos oportunidades e defendeu políticas publicas para corrigir essa desigualdade histórica. Ele defendeu a política de combate a violência racial e disse que essa política deve estar em todos os programas de governo.

“Precisamos apoiar as matérias federais, como a política de cotas que foi bem instituída pelo presidente Lula”, disse.

Agronegócio

Rafael reconheceu a vocação do Piauí para agricultura, tanto familiar com 1 milhão de piauienses, como do agronegócio que gera divisas para o Estado. “O Piauí cresceu o agronegócio não só pelo investimento privado que é importante, mas houve investimento de energia, rodovia feitos pelo Governo. Claro que há problemas, mas estamos aqui para resolver esses problemas”, disse, citando as rodovias que estão sendo executadas e recuperados vários trechos rodoviárias.

Ele citou também o processo de regularização fundiária, que melhorou muito e tem atraído mais investidores. “Queremos avançar mais um passo, a implantação da agroindústria”, falou

Uespi

O candidato falou que a Universidade Estadual do Piauí é prioridade em seu plano de governo. Ele disse que anos atrás, a Uespi não tinha professor-doutor e hoje são mais de 500 com esse título. 

“Claro que temos que melhorar em laboratório e na infraestrutura física e tecnológica”, disse, citando a valorização profissional e a realização de concurso para professores de modo a contemplar todos os cursos e também aproximar a Uespi com a sociedade de modo a contribuir com o desenvolvimento econômico em várias áreas potenciais para o Estado.

“A Uespi e a UAB serão prioridades no Governo de Rafael Fonteles”, disse, enfatizando que está preparado para assumir a missão de governar o Piauí.