Os pré-candidatos do PT a governador, Rafael Fonteles, e a senador, Wellington Diasparticiparam na noite desta segunda-feira, 1 de agosto, de encontro com o povo na zona Leste de Teresina. A plenária foi organizada pelo pré-candidato a deputado federal James Guerra e pelo pré-candidato a deputado estadual João Madison, com o objetivo de alinhar as estratégias para os dias que antecedem o início da campanha eleitoral.

Rafael citou os principais desafios e pontos primordiais da estratégia traçada. “A nossa candidatura tem o maior apoio de partidos, deputados, vereadores, suplentes e lideranças. É um time forte e nosso desafio é explicar o que está em jogo nessas eleições, que é botar o país nas mãos de pessoas autoritárias que beneficiam um pequeno grupo de pessoas, ou nas mãos de quem defende a democracia e usa a política para a melhoria de qualidade de vida dos mais pobres, com mais saúde, educação, segurança, trabalho e renda. Temos uma proposta concreta e possível de ser realizada em quatro anos. Vamos à luta”

James Guerra pontuou a importância de uma estratégia para esta nova fase pós convenções.

Encontro realizado na noite de segunda-feira (Divulgação)Encontro realizado na noite de segunda-feira (Divulgação)

“É importante alinhar os passos daqui para frente, depois de 60 dias conversando com o nosso povo. Aqui nesse encontro temos homens e mulheres de Teresina que tem um coisa em comum: muito trabalho realizado pela capital. E é com essa força de vontade que conseguiremos eleger esse time do povo para dobrar as ações na cidade e levar cada vez mais qualidade de vida aos teresinenses e piauienses”, disse.

Acertos são maiores que os erros

Já João Madison chamou atenção para a necessidade de analisar a capacidade de cada time. “Falar de Rafael e Wellington é fácil. Wellington é o nome que faz e sempre fez pelo Piauí, que vai ancariar recursos pro estado que ama e não barrar, como vemos senadores daqui fazendo. Estou certo de que os acertos do nosso time são maiores do que os erros e é com Rafael que o Piauí estará no caminho certo, com o estado equilibrado e nas mãos de quem entende de gestão. Só depende de nós fazer um Piauí cada vez melhor”, pontuou.

Wellington Dias deu destaque à integração de líderes que se uniram com o objetivo de lutar pelo país. “Essa eleição é diferente de todas que já vivemos. Posso afirmar que acompanhei de perto e o Lula não tinha a obrigação de ser candidato de novo, mas devido à situação dramática que o Brasil vive com volta ao mapa da fome, desemprego e violência, resolveu botar o seu nome para reconstruir o Brasil de todos. Alckmin, compreendendo o momento crítico, aceitou deixar as divergências de lado e ser o vice de Lula, assim como muitas lideranças e populares. Agora temos o desafio de avançar e mostrar que esse time tem o melhor projeto para o Nordeste e para o Brasil”, afirmou.