O candidato a deputado federal pelo Maranhão, Thiaroni Rocha (NOVO) foi entrevistado nesta segunda-feira, 26, pelo jornalista Ieldyson Vasconcelos, dentro do Programa Bom Dia Meio Norte.

Cristão evangélico de 29 anos, o candidato é comunicador social e utilizou seu trabalho para fazer jornalismo social, fazendo vídeos com denúncias e reportagens de rua. “Então senti na pele as necessidades que o povo passa nas ruas e comunidades. Uma coisa é você ver números”, disse, enfatizando que pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE)o Maranhão tem 40 cidades vivendo em extrema miséria e esse número aumentou na última gestão.

Thiaroni Rocha em entrevista ao Bom Dia Meio Norte (Raissa Morais)Thiaroni Rocha em entrevista ao Bom Dia Meio Norte (Raissa Morais)

Segundo o candidato, o Governo Flávio Dino prometeu o contrário, que era eliminar a miséria e, na prática, não aconteceu. “Uma coisa é você ver e sentir esses números. O Maranhão, apesar de gerar riquezas, não reflete no IDH”, disse, contando que existem problemas estruturais em vários setores e citou a saúde, em que a população reclama a falta de atendimento. “Já recebi denúncias de uma pessoa que não conseguiu atendimento para dentista há várias semanas por falta de resina”, explica, disse que viu a necessidade de ser representante do povo maranhense e também para estimular o empreendedorismo, com geração de emprego e renda.

Escolha do partido

Na entrevista, ele disse que a escolha do NOVO se deu pela afinidade e também pelo respeito que o partido tem com o dinheiro do contribuinte. “Os nossos impostos não são usados para financiamento de campanha. Neste ano teríamos direito a R$ 89 milhões e foram devolvidos ao Tribunal Superior Eleitoral”, relata.

Ele disse considerar uma aberração o fato de que neste ano, em 45 dias de campanha, estão usando R$ 5 bilhões de Fundo Eleitoral, fora o Fundo Partidário de R$ 1,4 bilhão. “É um dinheiro que em 6 anos não foi usado em saneamento básico em todo o país e temos quase 50% do território sem tratamento de esgoto e saneamento básico”, explica, enfatizando ser absurdo usar o dinheiro que deveria ser aplicado em serviços básicos ser usado em campanha política.

Thiaroni lamentou a polarização nacional e disse que isso é danoso para democracia. “Com a polarização não se discute ideias, mas pessoas”, ressalta. No Maranhão, ele disse que o NOVO tem apenas candidatos a deputado federal e não declarou apoio para governo, candidato a deputado estadual. “Não declarei apoio a ninguém, pois pouco tinha o perfil para caminharmos juntos”, disse.

Thiaroni Rocha diz que será o deputado das reformas (Raissa Morais)Thiaroni Rocha diz que será o deputado das reformas (Raissa Morais)

Propostas

Ao falar de suas propostas, ele declarou a geração de emprego e renda. “Podemos resolver esse problema com a reforma tributária justa para reduzir imposto, desburocratizar o sistema tributário e reduzir gastos constitucionais, que são os privilégios da classe política e vou propor o fim desses privilégios e do alto funcionalismo público”, disse, declarando que os gastos com o Poder Judiciário foram mais de R$ 100 bilhões, segundo a CNJ, mais que o Auxílio Emergencial.

Para região de Timon, ele disse que o jovem tem vontade de empreender. Ele explicou que muitas empresas foram abertas em 2020, mas muitas fecharam por falta de capacitação e crédito.

Ele disse que o deputado tem que propor leis e beneficiar o cidadão e falou que está na hora de começar a direcionar cursos profissionalizantes para as novas profissões. “Estou aqui com esse olhar de renovação”, disse.

Thiaroni disse que os deputados federais de Timon, inegavelmente, tem obras e serviços prestados em Timon, mas deixaram a desejar. “Não fomos bem representados”, disse, enfatizando que se eleito vai representar o povo do Maranhão e destinará emendas para áreas sensíveis existentes em todo o Maranhão. “Nossas emendas vão ser destinadas por edital em que cidades e órgãos podem participar e explicar porque desejam a emenda com critérios de transparências e razoabilidade e avaliaremos o projeto mais relevante para ser executado”, afirmou.