Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore

Governo do Piauí conclui licitação da PPP das Miniusinas

A PPP vai resultar em mais de R$ 150 milhões em investimentos e gerar uma economia mensal de 23% nos gastos do Estado com energia

Compartilhe

O Governo do Estado, por meio da Superintendência de Parcerias e Concessões (Suparc), concluiu o processo de licitação do projeto de Parceria Público-Privada (PPP) que prevê a construção de oito Miniusinas de Energia Solar em cidades piauienses.  Com a contratação dos últimos dois lotes da disputa, essa PPP inovadora vai resultar em mais de R$ 150 milhões em investimentos e gerar uma economia mensal de 23% nos gastos do Estado com energia para abastecer os órgãos públicos.

A sessão de licitação foi concluída nessa terça-feira (3), após o cumprimento de prazo para a análise de recursos das empresas participantes. Com o final do processo, o resultado ficou o seguinte: o Consórcio Energia Sustentável, composto por empresas de São Paulo e do Distrito Federal, arrematou o lote 3 e vai investir R$ 40.949.046,04.  Já o lote 4 foi arrematado pela empresa goiana Brenge Par Engenharia e Participação, que deve investir R$ 35.627.538,50.

Os outros dois lotes foram homologados no último dia 5 de outubro, com o Consórcio Energia Sustentável do Piauí arrematando o lote 1, com investimento previsto de R$ 40.949.946,04; e o lote 2 sendo arrematado pelo Consórcio Gm-Energia, composto por empresas de São Paulo e Pernambuco e que deve investir R$ 32.821.417,99 no projeto.

Cada lote é composto por duas miniusinas, sendo uma construída em terreno público e outra feita em terreno particular. Já está definido que os terrenos públicos devem ficar nas cidades de Caraúbas, Cabeceiras do Piauí e Canto do Buriti. Os terrenos privados serão definidos após da assinatura dos contratos, prevista para ocorrer ainda neste mês de novembro, mas já tem dois municípios definidos: Curralinhos e Barras. A previsão é que essas miniusinas entrem em funcionamento até o final de 2021.

“Vivemos um momento de crise econômica e esse projeto vai gerar uma economia substancial no orçamento do Governo do Estado, o  que permitirá ao estado investir os recursos públicos economizados em áreas essenciais, como saúde e educação, por exemplo, e ajudando a equilibrar as contas. Serão R$ 150.347.047,00 de investimento da iniciativa privada, sem contar os ganhos com o uso de energia limpa e ambientalmente sustentável”, comemora a superintendente da Suparc, Viviane Moura.

Outro destaque do projeto é que, como são oito contratos, são oito cidades que vão receber as Miniusinas, aumentando a arrecadação de impostos nos municípios, gerando emprego e renda e qualificação da população, especialmente porque caberá às Concessionárias implantar, em conjunto com a Universidade Estadual do Piauí (UESPI), o Centro de Formação e Pesquisa em Energias Renováveis. Para esse projeto as empresas deverão investir quase R$ 350 mil.

A PPP das Miniusinas vai resultar em uma economia de mais de R$ 7 milhões por ano nos gastos do Estado com energia elétrica. Serão construídas oito miniusinas com capacidade de produção de 5Mw cada. Essa energia será injetada na rede da concessionária Equatorial e será implantado um sistema para gerenciar e compensar a energia produzida e a consumida pelos órgãos da administração estadual. A previsão total de investimentos da iniciativa privada no projeto é de cerca de R$ 150 milhões, ao longo de 25 anos de contrato.



Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar