A Justiça do Rio decretou uma nova prisão preventiva para o ex-vereador Gabriel Monteiro (PL). A decisão é da juíza Simone de Faria Ferraz, da 43ª Vara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, pelos crimes de violação sexual mediante fraude e assédio sexual contra seus ex-assessores.

Ex-vereador Gabriel Monteiro foi preso no Rio de Janeiro Foto: Gabriel de Paiva/18-8-2022 Ex-vereador Gabriel Monteiro foi preso no Rio de Janeiro Foto: Gabriel de Paiva/18-8-2022 

Monteiro está preso no último dia 7 de novembro e, atualmente está na Cadeia Pública Joaquim Ferreira de Souza, no Complexo de Gericinó, na Zona Oeste do Rio, por estupro de uma vendedora. 

Segundo o Ministério Público do Estado, o ex-vereador teria forçado uma estudante, de 23 anos, a praticar relação sexual com ele após uma festa na Barra da Tijuca, em 15 de julho.

Ele teve o mandado de prisão expedido pelo juiz Rudi Baldi Loewenkron, da 34ª Vara Criminal, que aceitou a denúncia do Ministério Público. O youtuber é acusado pelo crime de estupro .

O novo mandado de prisão de Monteiro é oriundo de uma investigação da 42ª DP (Recreio) e foi divulgado pelo Fantástico, da TV Globo, no começo do ano. Ele foi expedido no último dia 8 de novembro, um dia após o ex-parlamentar ser preso.

O delegado Luís Mauricio Armond Campos, então titular da 42ª DP, comentou a decisão da justiça após finalizar a investigação.

"Esse é o resultado das investigações que já vem caminhando desde o dia 28 de março, em que, em razão da complexidade dos diversos fatos que apareceram, ela se tornou um pouco prolongada. Mas, agora, a sua finalização tem demonstrado a capacidade da Polícia Civil em apresentar a verdade dos fatos e toda essa teia que envolveu o ex-vereador Gabriel Monteiro", destacou.

O ex-parlamentar nega o crime e disse que vai provar sua inocência.

O novo pedido de prisão preventiva faz parte dos casos que foram analisados pelo Conselho de Ética da Câmara do Rio, que pediu a cassação do mandato do então vereador Gabriel Monteiro.

No dia da primeira prisão, por meio de sua rede social, Gabriel Monteiro negou o crime e disse que vai provar sua inocência.

"Fiquei sabendo pela minha advogada que foi decretada a minha prisão preventiva por um crime que eu não fui escutado na delegacia. Respeito as autoridades e por isso estou vindo aqui. Não fui conduzido pela polícia. Assim que fiquei sabendo vim imediatamente me entregar para a Justiça porque acredito nela e sei que minha inocência vai ficar comprovada. Não só tecnicamente, mas também para todo o Brasil, de forma que fique incontestável qualquer acusação contra mim", disse Monteiro antes de se entregar.

Vereador cassado

Gabriel teve seu mandato cassado no dia 18 de agosto, após uma votação no plenário da Câmara, por quebra de decoro parlamentar.

Várias acusações foram feitas contra: assédio sexual, moral e tentativa de estupro. Gabriel Monteiro também foi acusado de intimidações, agressões e de cometer crimes contra menores de idade.

Nas denúncias analisadas pela Câmara, constam quatro acusações de mulheres que dizem ter sido estupradas.

Ao menos três delas afirmaram que as relações começaram de forma consentida e passaram para uma situação de violência. Sempre que se pronunciou, Gabriel Monteiro negou os crimes.