Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

Wellington Dias quer autonomia para Congresso decidir sobre votações

Oposição quer atrelar votação do Orçamento à análise de vetos. Advogado-geral pediu que STF ratifique que Orçamento pode ser votado

Wellington Dias quer autonomia para Congresso decidir sobre votações
O senador Wellington Dias (PT-PI) discursa no plenário do Senado | Geraldo Magela / Agência Senado
Compartilhe

O líder do PT no Senado, Wellington Dias (PI), defendeu nesta sexta-feira (8) que o Congresso tenha autonomia para definir a ordem de votação das matérias na Casa. Um dia antes, o advogado-geral da União Luís Inácio Adams, disse que deverá pedir que o plenário do Supremo Tribunal Federal decida se o Congresso Nacional pode apreciar o Orçamento da União de 2013 sem necessidade de votar antes os mais de 3 mil vetos.

?Em todo parlamento do mundo, e em todos outros poderes que lidam com matérias - inclusive o Supremo - têm o poder de escolher para apreciação aquilo que está pronto para votação. Defendo que assim também deva ser o parlamento?, disse o senador.

O impasse em torno da votação se dá porque alguns líderes não abrem mão de votar antes da proposta orçamentária os mais de 3 mil vetos presidenciais que estão na fila aguardando apreciação. Mesmo sem um acordo, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PDMB-AL) já convocou sessão do Congresso para analisar a proposta para o próximo dia 19. Na quinta, o ministro do Supremo Luiz Fux reafirmou que o Congresso pode, sim, votar outros projetos antes de analisar vetos.

Entre os que precisam ser analisados está o veto ao artigo ao artigo 3º da Lei os Royalties, feito pela presidente Dilma Rousseff. O artigo 3º do projeto de lei aprovado no Congresso diminuía a parcela de royalties e da participação especial dos contratos em vigor destinada a estados e municípios produtores de petróleo, mas Dilma vetou.

No final do ano passado, os parlamentares chegaram a firmar acordo para analisar, em regime de urgência, o veto à Lei dos Royalties, mas o Supremo entendeu que esse veto não poderia ser votado antes da análise de outros mais de 3 mil vetos com prazo vencido que ainda não foram apreciados pelo Congresso. Nesta semana, o ministro voltou a afirmar que a decisão quanto aos vetos não prejudica a votação do orçamento.

?Na minha opinião, para todas as matérias, vai valer para o Congresso decidir sobre o orçamento e para as demais matérias que estão na pauta do Congresso Nacional?, disse Wellington Dias.


Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar