Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

No Piauí, 48,1% da água produzida é desperdiçada antes do consumo

Novo levantamento do Ministério do Desenvolvimento Regional aponta para alta de 4,4% em um ano

No Piauí, 48,1% da água produzida é desperdiçada antes do consumo
| Lívia Stumpf
Compartilhe
Google Whatsapp

Levantamento divulgado neste mês pelo Ministério do Desenvolvimento Regional, no que tange ao Diagnóstico do Serviços de Água e Esgoto do Brasil, com ano-base 2017, aponta que o índice de perdas na distribuição de água no Piauí atingiu o maior patamar dos últimos anos: 48,1% ante 43,7% registrado no estudo anterior (referente a 2016). A alta foi de 4,4% nas perdas no período. 

O indicativo mostra que o índice de perdas no Piauí ficou acima da média regional (46,3%) e da nacional. Para se ter uma ideia em 2017, o Índice de perdas na distribuição no Brasil foi de 38,3%. Ou seja, 38,3% do volume de água disponibilizado não foi contabilizado como volume utilizado pelos consumidores, seja por vazamentos, falhas nos sistemas de medição ou ligações clandestinas. Dessa forma, apesar de similar aos 38,1% no ano de 2016, o valor atual mantém o aumento identificado de 2015 para 2016, ano em que o índice subiu 1,4 pontos percentuais após a constância de queda identificada no período de 2012 a 2015. Possíveis causas para tal

comportamento podem ter origem tanto na qualidade dos dados informados para o cálculo do indicador, quanto no efetivo aumento do volume de perdas por alguma ineficiência por parte dos prestadores de serviços.

Lívia Stumpf

Caracterizadas de forma geral como ineficiências técnicas, as perdas são inerentes a qualquer sistema de abastecimento de água. É um tema de alta relevância frente a cenários de escassez hídrica e de altos custos de energia elétrica, além da sua relação direta com a saúde financeira dos prestadores de serviços, uma vez que podem representar desperdício de recursos naturais, operacionais e de receita. Dessa forma, os custos decorrentes das perdas devem ser minimizados e estar sujeitos a gerenciamento apropriado, pois são repassados ao consumidor.Assim, o estudo dá um direcionamento aos gestores quanto a necessidade de auxiliar na minimização das perdas. 

CAPITAIS - O estudo do Ministério do Desenvolvimento Regional ainda sintetiza que as perdas de distribuições nas capitais tiveram a seguinte configuração: Teresina/PI, Salvador/BA, Rio Branco/AC situam-se na faixa entre 50 e 60%, com 51,4%, 54,0%, 54,9%, 57,2% e 57,6%, respectivamente. Acima de 60% de perdas na distribuição ficam as capitais Recife/PE (61,1%), Macapá/AP (62,2%), São Luís/MA (63,5%), Cuiabá/MT (65,9%), Boa Vista/RR (69,3%), Manaus/AM (74,6%) e Porto Velho/RO (77,1%).


Tópicos
Compartilhe
Google Whatsapp

veja também

Recomendamos

Localização

Definir a localização padrão

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Fique por dentro

Receba notícias quentinhas diretamente no seu whatsapp

Continuar

Falta pouco, agora escolha as categorias que deseja receber notícias

Aperte (ctrl + clique) para selecionar vários
Pronto!

Agora você passará a receber novidades diretamente no seu whatsapp.

Termos de uso

Texto

Política de privacidade

Texto

×