O Piauí acaba de atingir a expressiva marca de 1,521 GW de capacidade instalada de energia eólica. No Brasil já são 14,34 GW de capacidade instalada em 568 parques eólicos e mais de 7.000 aerogeradores em 12 estados.

O levantamento é da ABEEólica indica que já chega a 55 o número de usinas eólicas no Piauí. A agência sintetiza que no caso específico do Nordeste, os recordes de atendimentos a carga já ultrapassam 70%, apontando que para produzir energia eólica, são necessários bons ventos: estáveis, com a intensidade certa e sem mudanças bruscas de velocidade ou de direção. O Brasil tem a sorte de ter uma quantidade enorme deste tipo de vento, o que explica em grande medida o sucesso da eólica no Brasil nos últimos anos. Para comparação, podemos citar que a média mundial do fator de capacidade (medida de produtividade do setor) está em torno de 25%. No Brasil, nos últimos doze meses (de set/17 a ago/18), o fator de capacidade médio foi de 42,5%, atingindo picos de superiores a 60% em um mês e tendo passado dos 80% no caso dos recordes registrados pelo ONS no Nordeste em um dia.

\"
(Crédito: Francisco Leal)

Assim, um outro ponto favorável do desenvolvimento da fonte eólica no Brasil é o fato de a cadeia produtiva ser 80% nacionalizada gerando empregos aqui e produzindo com alta tecnologia e investimento.

Com os números, o Piauí já concentra 10,6% da potência instalada de energia eólica no país. Os líderes continuam sendo Rio Grande do Norte e Bahia.