O Núcleo Estadual de Prevenção ao Suicídio será implantado no Piauí e, segundo o secretário estadual de Saúde, Neris Júnior, a proposta é implantar esse serviço em até 60 dias no Hospital Getúlio Vargas. "Visitamos e estivemos conversando com a Fundação Piauiense de Serviços Hospitalares (FEPISHER) e trata-se de um serviço que será implantado e incorporado à rede", disse, explicando que espaço já foi reservado e será mais um serviço prestado à população.

"Será um serviço referenciado, com atendimento psiquiátrico e psicológico, dispensação de medicação específica e acompanhamento clínico através dos profissionais", disse Néris Júnior, declarando que este é mais um serviço de atenção psicossocial, já que o Governo do Estado dispõe de Caps e outros atendimentos, como o Minuto pela Vida.

Secretário Neris Júnior explica funcionamento do Núcleo de Prevenção ao Suicídio (Raissa Morais)Secretário Neris Júnior explica funcionamento do Núcleo de Prevenção ao Suicídio (Raissa Morais)

O Minuto pela Vida funciona na sede da própria Secretaria de Saúde com 18 psicólogos que se revezam no atendimento à população no horário de 8h às 12h e de 13h às 17h e a meta é ampliar para 24 horas e também criar uma linha telefônica com três dígitos, estabelecendo uma linha específica de atendimentos. No momento, a população pode acessar o serviço do Minuto pela Vida por meio do telefone 0800 280 2882.

Ampliação de serviços

O secretário disse também, em entrevista à Rádio TV Jornal Meio Norte, que o aumento da atenção à saúde mental é recomendação da governadora Regina Sousa e para isso, o Programa Minuto Pela Vida pode funcionar em local mais acessível.  "Vamos ampliar a quantidade de leitos de atenção à saúde mental em Oeiras, Bom Jesus e aumentar o quantitativo de leitos de saúde mental em Teresina", disse, citando a criação de leitos no Hospital da Polícia Militar.

O Núcleo de Prevenção ao Suicídio, segundo o secretário, vai fazer atendimento ao paciente de forma regulada por outros postos, com horário marcado para consultas. "A ideia é implantar o serviço em Teresina e depois descentralizar para outras cidades", explica.

Néris Júnior informa que para implantação do Núcleo serão investidos R$ 150.000,00 em reforma, aquisição de equipamentos e manutenção. "Avaliaremos a demanda para ver o quantitativo de profissionais", disse, enfatizando que esse serviço não tem financiamento do Ministério da Saúde.

Secretário Neris Júnior diz que criação do Núcleo não tem financiamento do Ministério da Saúde (Raissa Morais)Secretário Neris Júnior diz que criação do Núcleo não tem financiamento do Ministério da Saúde (Raissa Morais)

Vacinas contra covid

Na entrevista, o secretário destacou que a Sesapi acompanha diariamente os números de aplicação de vacina contra a covid-19 no estado. "Somos campeão no Brasil em aplicação total de 1ª e 2ª doses e segundo lugar no País com aplicação das doses de reforço. Aplicamos mais de 7,5 milhões de doses e queremos aumentar cada vez mais esse quantitativo", informou.

O secretário fez um apelo à população para procurar os postos de e atualizar a caderneta de vacinação e explicou que o Comitê Científico faz avaliações de ações e as medidas a serem tomadas com relação à covid. Assim, o COE estipulou 60% de cobertura vacinal de doses de reforço como parâmetro para flexibilização de medidas restritivas, principalmente a liberação do uso de máscaras em ambientes abertos e fechados.

Néris Júnior relatou que na última semana, o Programa Busca Ativa esteve na Planície Litorânea e os técnicos verificaram que três municípios ainda não tinham atingido esse patamar. "Muitas vezes, os municípios até vacinam, mas não incluem a aplicação das doses no sistema do PNI", disse, enfatizando que as duas maiores cidades do Piauí, Teresina e Parnaíba, ainda não chegaram a 60% de aplicação de doses de reforço. "Pedimos que a população procure os postos de vacinação", disse.

O secretário também destacou que a Sesapi acompanha e está vigilante para o surgimento de outras enfermidades como o sarampo, a dengue e a chikungunya.

Piauí ampliou rede alta complexidade

Ainda durante entrevista ao Meio Norte, o secretário declarou que nos momentos mais necessários de pandemia, o Governo do Estado se fez presente no atendimento à população. "Não faltou leito de UTI, não faltou oxigênio, não faltou medicação e utilizamos nossa estrutura para atendimento à população, ajudamos e recebemos pacientes de fora do estado", declarou.

Na pandemia, o secretário aponta que a rede de saúde pública do Piauí aumentou em termos de complexidade e implantação de novos leitos de UTI em Bom Jesus, São Raimundo Nonato e outros municípios. Em Parnaíba, cita ele, chegou a funcionar com mais 45 leitos.

O Governo do Estado, através da Sesapi, tem descentralizado cada vez mais os serviços, a exemplo da implantação da neurocirurgia nos hospitais de Parnaíba e Picos. "Ampliamos os serviços de alta complexidade, investimos na estrutura, aquisição de equipamentos e aumento de quantitativo de profissionais", disse.