Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore

PIB do Piauí tem o 5º maior crescimento do país

Estado acumulou média de crescimento de 4% ao ano

 PIB do Piauí tem o 5º maior crescimento do país
|
Compartilhe

O Escritório Técnico de Estudos Econômicos (Etene), vinculado ao Banco do Nordeste, divulgou na quarta-feira, 27 de março, um estudo sobre o Produto Interno Bruto (PIB) dos entes federativos. O levantamento, que engloba os dados consolidados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de 2002 a 2016, sintetiza que o Piauí acumulou no período média de crescimento de 4% ao ano; é o melhor resultado do Nordeste na série histórica e o quinto do país, ficando atrás apenas de Tocantins, Mato Grosso, Roraima e Acre. 

De acordo com o estudo, o PIB do Piauí alcançou a marca de 41,406 bilhões no ano de 2016, representando 0,6% das riquezas nacionais. No Nordeste também se destacaram o Maranhão (+3,7% ao ano), Paraíba (+3,5%); Ceará (+3,0%); Pernambuco (+2,6%) e Alagoas (+2,6%).

Os resultados no Piauí foram fortemente influenciados pela atividade de Serviços, que representou 50,7% do valor adicional bruto total. Também foi destaque a Indústria, especificamente na Produção de eletricidade e gás, água e esgoto, atividades de gestão de resíduos e contaminação e como também na Indústria de transformação. Já no Maranhão (+3,7%), o crescimento foi impulsionado pelos setores da Agropecuária e da Indústria, acompanhando o desenvolvimento do cultivo de soja no Estado e da indústria de transformação do alumínio, respectivamente.

Em relação à participação do PIB nas Unidades Federativas, especificamente no Nordeste, entre as nove Unidades Federativas da Região, seis apresentaram crescimento na participação do PIB brasileiro: Ceará, Maranhão e Pernambuco (+0,3 p.p. cada); Piauí (+0,2 p.p.); Rio Grande do Norte e Bahia (+0,1 p.p.). No entanto, Paraíba e Alagoas ficaram praticamente estáveis ao longo do período estudado; e, apenas, Sergipe (-0,1 p.p.) perdeu participação na economia Nacional entre 2002 e 2016. Entre os estados da Região, em 2016, Bahia, por sua vez, manteve-se como a sexta maior economia do País (com PIB Estadual de R$ 258,6 bilhões) e com a maior participação do PIB Nacional, com 4,1%. No período 2002- 2016, o estado baiano ganhou participação na economia brasileira de 0,1 p.p., quando respondia por 4,0% do PIB do País em 2002. O avanço decorreu por diversos fatores, desde o crescimento da Agropecuária, Construção e Atividades financeiras, de seguros e serviços relacionados até o resultado em valor da atividade de Refino de petróleo e coque.  O levantamento foi coordenado pela economista e gerente de produtos e serviços bancários do Etene, Hellen Saraiva Leão. 

Jornal do Commercio


Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar