A governadora Regina Sousa decretou situação de emergência em 41 municípios do Piauí provocada pela seca. O decreto foi publicado no Diário Oficial do Estado do dia 17 de agosto.

O estado de emergência tem vigência de 180 dias e ficam acionados, em sua plenitude, os órgãos e entidades da Administração Pública, dentro dos respectivos campos de competências e os vinculados ao Sistema de Proteção e Defesa Civil do Estado, para adoção das medidas necessárias à restauração da normalidade.

Governadora Regina Sousa em reunião com gestores (Paulo Barros)Governadora Regina Sousa em reunião com gestores (Paulo Barros)

O decreto estadual já está em vigor desde a data de sua publicação, 17 de agosto, e abrange os municípios de Alagoinha, Alegrete do Piauí, Anísio de Abreu, Betânia, Brejo do Piauí, Bonfim do Piauí, Bom Princípio do Piauí, Caldeirão Grande, Caracol, Caridade, Capitão Gervásio Oliveira, Campo Alegre do Fidalgo, Coronel José Dias, Dirceu Arcoverde, Dom Inocêncio, Fartura do Piauí, Francisco Santos, Jacobina, Lagoa do Barro, Marcolândia, Padre Marcos, Patos do Piauí, Paulistana, Vila Nova, São Lourenço, São Raimundo Nonato, Simões, São Francisco de Assis, Santa Cruz do Piauí, Francisco Macedo, Campo Grande, São Braz, Pio IX, São Julião, Guaribas, Queimada Nova, Fronteiras, Morro Cabeça do Tempo, Acauã, Jurema e Santo Inácio.

Para assinatura do decreto de emergência, o Governo do Estado levou em conta a irregularidade na distribuição pluviométrica observada nos últimos anos no Estado, na maioria dos municípios piauienses, sobretudo os da região do semiárido, em especial dos aglomerados dos Territórios Serra da Capivara, Vale do Canindé, Vale do Sambito, Vale do Rio Guaribas, e Vales dos Rios Piauí e Itaueira, conforme informações da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (SEMAR) provenientes das estações de acompanhamento do INMET e ANA.

O decreto levou em conta o monitoramento realizado pelo monitor das secas, órgão da Agencia Nacional de Águas (ANA), que demonstra que parte do território do Estado ainda se encontra em seca caracterizando o momento atual como situação de Seca grave e moderada; o levantamento sistemático da produção agrícola realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) que demostram que a safra no Estado, em especial nos municípios do semiárido ainda não foi restabelecida no total.