Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore

Renan defende voto secreto e diz que acusações são mentirosas

Renan defende voto secreto e diz que acusações são mentirosas

Compartilhe

Na v?spera da vota??o do relat?rio que pede a cassa??o de seu mandato no Conselho de ?tica do Senado, o senador Renan Calheiros (PMDB-AL) discursou hoje por mais de meia hora no plen?rio da Casa para rebater todas as den?ncias de que ? acusado. O presidente do Senado disse que, depois de cem dias como alvo de acusa?es, ningu?m conseguiu comprovar nenhuma das "mentiras" de que ? v?tima.

"Eu s? listei dez das mentiras que foram, uma a uma, demolidas com documentos. Repito: todas foram demolidas com documentos que eu apresentei. At? hoje, n?o apresentaram um s? documento contra mim. O que restou de tantas acusa?es? Absolutamente, nada. As acusa?es viraram p?", enfatizou.

Voto secreto

Renan tamb?m defendeu a vota??o secreta no conselho, apesar de afirmar que n?o vai interferir na decis?o dos senadores, que na semana passada aprovaram o voto aberto no relat?rio contra o peemedebista.

"Como presidente da institui??o n?o posso deixar de registrar que o Direito Constitucional est? sendo esmagado em nome da continuidade do linchamento. [Com o voto aberto], abre-se uma chaga incicatriz?vel na parte mais sens?vel do ordenamento jur?dico. Por essa ferida, por essa les?o profunda, eu n?o quero ser c?mplice nem coadjuvante."

O presidente do Senado disse que n?o vai recorrer ao STF (Supremo Tribunal Federal) para que o voto seja aberto no conselho. "Seria uma indelicadeza do presidente do Senado recorrer ao Supremo. Comigo, eu quero que a verdade ocorra de outra forma", afirmou.

Renan disse que a vota??o aberta no Conselho de ?tica vai se tornar um "grave precedente, um erro jur?dico e um a?odado atropelo perpetrado pela conveni?ncia pol?tica de alguns poucos". Mas ressaltou que, apesar de discordar da decis?o do conselho, n?o vai usar das prerrogativas do cargo para revert?-la. "N?o preciso lan?ar m?o de expedientes conden?veis nem submeter ao prest?gio do cargo para confirmar a minha inoc?ncia", enfatizou.

O senador tamb?m desautorizou assessores ou aliados a veicularem listas com a esperada contabilidade de votos no Conselho de ?tica. "Eu gostaria de desautorizar publicamente qualquer veicula??o de listas, de nomes, que tenham esta ou aquela tend?ncia de voto. Isso ? uma tentativa criminosa de desvendar o voto, que ? secreto. N?o est?o falando em meu nome e nenhum assessor tem conhecimento deste assunto", disse.

Nova den?ncia

Sobre a mais recente den?ncia de envolvimento em um esquema de desvio e lavagem de dinheiro, Renan disse que ela ? falsa. "De t?o d?bil, eu optaria por desprez?-la. Mas por respeito ao Senado, n?o posso deixar de dar uma satisfa??o. Trata-se de mais uma mentira, uma briga familiar que ganhou generosas p?ginas porque citaram meu nome lembrando mat?rias antigas", afirmou.

Segundo Renan, o fato ? "inteiramente falso" e n?o teve o seu valor acolhido pela Justi?a. "N?o vou mais compactuar para que essa esquizofrenia se transforme em dem?ncia", afirmou. Renan foi acusado pelo advogado Bruno Miranda Lins, ex-marido de uma de suas funcion?rias, de integrar o esquema de desvio de dinheiro.

O advogado argumenta que seu ex-sogro, o lobista Luiz Garcia Coelho, seria o operador do esquema para distribuir os recursos a pol?ticos do PMDB entre eles, o pr?prio Renan. A funcion?ria de Renan, Flavia Garcia, nega as acusa?es do ex-marido e afirma que Lins tem o ?nico objetivo de conquistar vantagens financeiras no processo de separa??o litigiosa.


Tópicos
Compartilhe
Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar