Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
Jornal Agora

Delegada diz que acusado de suposto estupro não é professor

Compartilhe

A delegada Vilma Alves da Delegacia da Mulher, em entrevista ao vivo no Agora da Rede Meio Norte desta terça-feira, dia 28, falou sobre o caso da estudante que teria sido estuprada por um professor do curso de Direito da Universidade Federal do Piauí. A jovem procurou a Delegacia da Mulher, localizada no Centro da Capital, para fazer a denúncia.

“De acordo com a denúncia oferecida, nós estamos fazendo trabalho próprio de competência da Polícia Civil que é investigar, então nós estamos investigando. Ela [jovem] já foi fazer os procedimentos necessários na Maternidade Evangelina Rosa e todos os exames com relação ao fato delituoso, se houve ou não, nós estamos investigando. Quero agradecer a oportunidade de dizer que a Delegacia da Mulher tem o proposito de proteger a mulher, a vítima. Mas isso diante de todas as nossas investigações, procurar as testemunhas e os exames, que são provas materiais ou cientificas, porque sem elas, principalmente elas, nós não podemos ter a segurança do fato e se aconteceu”, disse.

Segundo a delegada, é necessário aguardar o resultado dos exames. “Não podemos dizer, antecipadamente, se houve ou não o abuso. O exame, somente ele, poderá dizer. Ele deve dar o fato comprovado daquilo que aconteceu”, afirmou.

Ela falou sobre caso a comprovação, através do exame, tenha dado negativo. “Todo trabalho que nós, como autoridade policial, nós não estamos aqui para julgar. Nós temos o juiz, o Ministério Público que são competentes para julgar e dizer se pode oferecer a denúncia ou não. Nós estamos fazendo apenas o trabalho da polícia, estamos apurando somente a denúncia crime. Nós, como representantes do Estado, estamos fazendo nosso trabalho de proteger a vítima, a pessoa que sofreu o crime e nós vamos investigar se ela sofreu o crime”, frisou.

Vilma Alves esclarece que, caso o estupra tenha ocorrido, ele não foi praticado pelo professor. “Com relação ao professor, que seria da Universidade Federal, eu posso dizer aqui, plenamente, que estou convencida de que ele não é professor da Universidade. Nós já descartamos, ele não é professor. Eu sempre digo: nós estamos investigando, trabalhando. Nós não podemos fazer juízo de valor”, enfatizou.


Tópicos
Compartilhe

veja também

Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar