Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
Jornal Agora

"Ele demonstrava muito amor por Gercineide", diz irmão da primeira-dama assassinada

Compartilhe

Nilton Filho, irmão da primeira-dama de Lagoa do Sítio, participou por telefone no Programa Agora afirmando que a família prefere não se pronunciar sobre o caso até que investigações sejam concluídas.


“Nós não queremos manifestar nenhuma opinião, porque não fomos oficialmente notificados nem avisados pela polícia para dizer quem é suspeito e quem não é. Apenas estamos ouvindo que minha irmã foi morta a tiros, mas não fomos avisados de nada. Minha irmã e seu marido viviam muito bem, todos na cidade sabem do amor que existia entre eles, eles andavam muito juntos e ele sempre declarava que amava ela demais. Não temos informações oficiais de que ele ajudou a matar ela, para nós é muito difícil acreditar nisso porque o amor que ele demonstrava por ela era muito grande e todos viam”, declarou Nilton Filho.




Delegado Willame Morais, também esteve no Programa Agora e deu detalhes do trabalho da polícia frente ao crime que culminou na morte da primeira-dama.


“Quando chegamos na casa do prefeito, deixamos as pessoas bem livres para depor. A perícia estava lá e o prefeito também, segundo o prefeito, as 8h30 ele percebeu a morte da esposa, percebendo uma maneira diferente da que havia deixado. O depoimento dele nos chamou atenção é que quando achamos uma pessoa amada ferida, a primeira ação é socorrer, o que não foi feito. Todos dizem que eles não tinham inimigos e confirmam que o prefeito saiu de casa bem cedo para ir ao sítio. O que ocorre é que não há dúvidas de que o prefeito e a empregada estão envolvidos na morte de Gercineide”, declarou Willame Morais.

Entenda o caso

O prefeito de Lagoa do Sítio a 240 km de Teresina, José de Arimatéia Rabelo, o Zé Simão, foi preso na noite desta terca feira(10), acusado como principal suspeito pelo assassinato de sua mulher, a primeira dama Gercineide de Sousa Monteiro Rabelo, de 35 anos, que apareceu morta às 8h30 na cama de sua residência onde morava com o prefeito.

O secretário de Segurança Pública, Fábio Abreu, afirmou que José Simão foi preso pelo delegado de Valença, Maycon Braga e o gerente de policiamento do interior, Williame Moraes, como principal suspeito pela morte de sua esposa. Segundo Fábio Abreu, a prisão foi feita por que Gercineide foi assassinada com um tiro na cabeça, mas em seu depoimento inicial o prefeito José Simão disse que ela teria cometido suicídio ou teria sofrido um ataque cardíaco, já que tinha saído às 5h30 da residência, tinha dado um beijo nela e ido para uma lavoura que tem na zona rural, mas o exame feito no IML em Teresina, onde o corpo foi levado, constatou que a primeira-dama tinha sido morta com um projétil de um revólver de calibre 38 na cabeça, entre 00h horas de segunda-feira e 1h de terça-feira.

"Pela apuração foi constatado que o crime ocorreu antes do prefeito sair de casa e não há sinal de arrombamento na residência”, declarou Fábio Abreu. O secretário ainda informou que Zé Simão foi transferido de Lagoa do Sítio para Teresina.

Prefeito acusado de matar primeira-dama tinha caso com a empregada

O deputado federal e futuro Secretário de Segurança, Fábio Abreu, declarou em uma entrevista concedida na manhã desta quarta-feira (11), que o prefeito de Lagoa do Sítio, José de Arimatea Rabelo, o Zé Simão, acusado de matar a sua esposa e primeira-dama Gercineide Rabelo, teve a ajuda da empregada da residência, e que o crime ocorreu porque os dois tinham um caso e queriam 'eliminar' a mulher.

"Essa versão dele de infarto ou morte natural foi apresentada no início e no próprio local policiais e a perícia que foi encaminhada de Teresina para Lagoa do Sítio constataram que havia sangramento no ouvido e na boca e a partir daí, com a perícia realizada foi constatado que se tratava de um disparo de arma de fogo, inclusive o projétil foi localizado no crânio da mulher. A informação dele é de que tinha saido 5h40 até um sitio dele e quando retornou 8h ela já estava morta, mas a própria perícia constatou que ela foi morta no máximo as 1h da madrugada. Com esse álibi caindo por terra houve um confronto das informações e a empregada ao ser interrogada disse que ela teve a participação direta no crime, a conclusão é de que ela estava tendo um caso com o próprio prefeito e eles juntos resolveram eliminar a primeira-dama", afirmou ele.

O secretário destacou ainda que a hipótese de suícidio foi prontamente descartada e o caso está solucionado. "Para se configurar alguma coisa com suicidio deveria ter a pólvora próximo do ouvido, e não tinha, havia um travesseiro utilizado para não deixar a pólvora e a empregada guardou a arma. Quem teria feito o disparo foi o próprio prefeito, muito provavelmente a arma pertence a ele. Agora ele está sendo encaminhado para Teresina junto com ela e vamos localizar um lugar para que ele fique preso em um local especial. Tudo indica que o caso vai ficar com a regional de Valença. Foi constatado também que não houve nenhuma briga, ou discussão, muito provavelmente ela foi morta enquanto dormia", declarou.


Tópicos
Compartilhe

veja também

Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar