Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros
Jornal Agora

Inquérito é concluído e empresário Pablo Henrique é indiciado por feminicídio em Teresina

Compartilhe
Google Whatsapp

O empresário Pablo Henrique Campos Santos foi indiciado na manhã desta terça-feira (08/10) por tentativa de feminicídio a namorada Anuxa Kelly Alencar e feminicídio contra a enfermeira Vanessa Carvalho. A pena prevista é de 12 a 30 anos de prisão.

Empresário Pablo Henrique Campos Santos - Foto: Divulgação

Anuxa Kelly e Vanessa Carvalho foram atropeladas pelo o empresário ao sairem de uma festa de casamento na avenida Homero Castelo Branco, na zona Leste de Teresina, na madrugada do dia 29 de setembro. Antes do crime, Anuxa teria tido uma discussão com o empresário, que é seu namorado, e ao decidir ir embora com sua amiga, Pablo Henrique teria pego seu carro e as atropelado. Devido a violência do atropelamento, Anuxa Alencar sofreu graves lesões no fêmur e na cabeça e a amiga Vanessa Carvalho morreu ainda no local do crime. 

Vanessa Carvalho e Anuxa Kelly Alencar - Foto: Divulgação

Em entrevista ao Jornal Agora, da Rede Meio Norte, a delegada Luana Alves, do Núcleo de Feminicídio do Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa - DHPP afirmou que durante as investigações foram ouvidas mais de 20 testemunhas, além da vítima sobrevivente. 

Delegada Luana Alves do Núcleo de Feminicídio do DHPP

“Foram 21 depoimentos de testemunhas, além do novo interrogatório do Pablo, que foi pego lá no presídio e filmado e o depoimento da vítima Anuxa. Ele diz que não lembra, quando foi questionado sobre a conduta criminosa e o fato de pegar o carro e atropelar as vítimas ele disse que não lembra. Ele disse que tem lembranças do casamento e depois só se recorda dele já na Central de Flagrantes.” contou a delegada Luana Alves, do Núcleo de Feminicídio do Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa - DHPP. 

Anuxa Kelly Alencar foi ouvida pela delegada na casa dela com a presença de uma psicóloga  e contou  alguns detalhes da relação que segundo a polícia seria abusiva, mas Anuxa Kelly não percebia essa relação. Ela disse a polícia que só percebeu que tinha algo errado nesta relação quando ela perdeu de certa forma a liberdade. E afirmou que ela nunca houve casos de violência física, mas que as brigas eram constantes e muito intensa.



Tópicos
Compartilhe
Google Whatsapp

veja também

Localização

Definir a localização padrão

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Fique por dentro

Receba notícias quentinhas diretamente no seu whatsapp

Continuar

Falta pouco, agora escolha as categorias que deseja receber notícias

Aperte (ctrl + clique) para selecionar vários
Pronto!

Agora você passará a receber novidades diretamente no seu whatsapp.

Termos de uso

Texto

Política de privacidade

Texto