Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
Jornal Agora

Sargento é acusado de práticas arbitrárias, como agressões e aplicação de multas no município de Passagem Franca

Compartilhe

O município de Passagem Franca fica localizado à pouco mais de 100 km de Teresina, tem cerca de 5 mil habitantes e apenas 3 policiais militares. A Delegacia da cidade passa a maior parte do tempo fechada, a mais próxima fica localizada na cidade de Barro Duro.

O empresário Antonio Neto, sua esposa Elimara Leite e os trabalhadores rurais Valdir Eduardo e João Filho denunciam que um Sargento da cidade, conhecido como Sargento Olavo estaria abusando da autoridade na cidade, multando, agredindo e prendendo pessoas arbitrariamente.

Antonio Neto já foi multado três vezes sem motivo aparente, os valores das multas somam mais de 4 mil reais. O empresário denuncia que o próprio policial circula em um motocicleta sem placa.

“Como policial ele abusa do poder, já me multou e estou com mais de 4 mil reais de multa no meu carro, sem nenhum motivo, pois ele nunca me abordou, nunca me parou. Eu deixei um dia meu carro estacionado e ele multou, duas multas em apenas um dia. Eu estive aqui em Teresina, na corregedoria e no Detran para resolver essa situação”, disse Antonio Neto.

“A cidade é pequena, é precária, é um interior, onde ele acha que é o coronel da cidade. Parece que é do tempo em que havia esse tipo de atitude de coronéis. Ele agride as pessoas, ele acha que é a lei na cidade”, disse Elimara Leite.

O trabalhador rural Valdir Eduardo, afirma ter sido preso pelo policial por duas vezes. Em uma delas foi por conta de um desentendimento em um bar com amigos. A situação, segundo ele, poderia ter sido resolvida com diálogo, mas além de ser agredido pelo sargento Olavo, foi algemado e passou mais de duas horas preso. As algemas apertaram tanto seu pulso, que Valdir quase perde os movimentos das mãos e passou dois meses sem trabalhar. Valdir Eduardo é casado e tem seis filhos que dependem do seu trabalho.

“Fiquei chocado com o que ele fez comigo, eles me bateram e eu tive que passar muito tempo sem trabalhar”, disse Valdir Eduardo.

Com João Filho, o casório ainda mais grave. Ele já foi preso quatro vezes pelo sargento Olavo. João Filho alega que já teve pendências na justiça, mas nunca mais voltou a delinquir. Ele foi agredido pelo policial e já invadiu sua casa.

“Ele sempre me bate muito, ele invadiu minha casa várias vezes”, disse João Filho.

Segundo Major Lucena, esse tipo de atitude é proibida.

“Esse caso já está sendo investigado, ouvimos atentamente as denúncias. A polícia militar não compactua com nenhum tipo de abuso de autoridade”, disse Major Lucena.






Tópicos
Compartilhe

veja também

Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar