Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros
Jornal Agora

Themístocles Filho sobre articulações: "Desrespeito ao eleitor"

Compartilhe
Google Whatsapp

O presidente da Assembleia Legislativa do Piauí, deputado estadual Themístocles Filho (MDB), em entrevista ao Agora da Rede Meio Norte na tarde desta quinta-feira (19), falou sobre as movimentações que se intensificaram nessa semana com a decisão do governador Wellington Dias (PT) de anunciar Marcelo Castro para o Senado e Regina Sousa para vaga de vice, antes cogitada para o presidente da Alepi.

Segundo Themístocles, houve uma reunião com os integrantes do MDB, mas sem definições. “Então houve essa reunião, nós já fizemos duas reuniões e os deputados do MDB mais uma vez me solicitaram outra, 'deputado, deixa o fim de semana para a gente viajar pelo interior do estado e também viaje para que a partir de segunda-feira o senhor diga o seu sentimento, como pensa, como deixa de pensar e como é que isto aconteceu’. Quem aguentou três anos e meio, aguenta mais três dias. Está com três anos e meio nessa confusão”, afirmou.


Themístocles foi questionado se ainda há chances de participar da chapa do governador. “Eu vou responder isso na próxima semana", resumiu.

O deputado também fez duras críticas a um acordo que teria sido firmado entre PT e PP para presidência da Assembleia. Mais cedo, o Blog Primeira Mão, assinado por Samantha Cavalca e Arimateia Carvalho, noticiou que os dois partidos, juntos, vão tentar eleger o presidente da Assembleia Legislativa. O presidente seria o deputado estadual Wilson Brandão, do Progressistas. A vice seria a deputada estadual Flora Isabel.

"Mas olha como vários erros estão acontecendo. Eu assisti aqui na Meio Norte, disse que houve um acordo entre o PT e o PP para presidente da Assembleia, significa dizer que o povo não vale nada. Eu já fui presidente da Alepi várias vezes, mas nunca fiz nenhum acordo com o governador, com o governador  A,B e C antes do povo votar. Agora não, acho que o voto do povo vale muito pouco, não vale nada e já sabem quem vai ser eleito porque eles mandam no povo. E antes do povo votar, eles já estão fazendo um acordo para presidente da Assembleia”, criticou.

 class=

Themístocles reafirma desejo de ocupar a vaga de vice. “Seu amigo aqui, a intenção era ser candidato a vice, então estou até fora desse páreo. Mas estou lhe dizendo, é ou não é um desrespeito ao eleitor do Piauí o que está acontecendo? Desse tipo de política, o deputado Themístocles Filho não participa. Eu sempre fui sincero com os meus amigos”, garantiu.

Questionado sobre a participação de Marcelo Castro, presidente do MDB, no citado ‘acordo entre PT e PP’, Themístocles negou: “Não, tem não. Quem manda em votos são os deputados estaduais lá na Assembleia, então estão dando um tiro no pé, estão dizendo que o povo não vale coisa nenhuma nesse departamento. Várias vezes eu fui presidente e nunca cheguei ao governador do Piauí, pergunte a ele e se ele quiser ele responde, nunca fui atrás antes da eleição. Depois da eleição a gente vai porque já sabe quem escolheu A,B e C, a gente vai lá, pede apoio do governador, do senador, de A e B. Mas antes da eleição? Isso é o mesmo que dizer que eleitor não tem valor nenhum. Estão dando muitos erros, e eu sou um cidadão muito tranquilo, calmo. Os meus colegas deputado estaduais me pediram e eu estou atendendo, não vou adiantar nada, nada do que o deputado Themístocles Filho pensa a respeito do que vai acontecer. Mas na próxima semana…”

E acrescenta: “Mas isso aí não foi o governador quem disse? Isso aí não é novidade, e também não é novidade que o deputado João Madison e o deputado Pablo entregaram um documento ao governador, dizendo e reafirmando que todos os deputados do MDB, assinado, dizem que não, que a preferência é que o deputado Themístocles Filho é o candidato que o MDB deseja para depois o cidadão dizer ’não, não foi assim não’”, declarou, explicando que o desejo da maioria dos integrantes do partido está exposto em um documento.

O mdebista faz um alerta.  “Você vai ver 30 coisas que estão acontecendo e que o povo vai ficar escandalizado”, disparou o deputado. “É cada 'canhão' que vem”, comentou. “Tudo acordo que o povo não sabe coisa nenhuma”, disse.

Caso seja confirmada sua saída da chapa governista, Themístocles informa que é candidato à reeleição. “Sou candidato a deputado e o Marco Aurélio é candidato a deputado federal. Eu preciso de várias pessoas para falar, preciso dele para em determinados momentos está representando o deputado Themítocles e u não posso, Deus, está em todos os lugares ao mesmo tempo. Então eu preciso de muitos amigos e vou percorrer o estado como um todo”,  afirmou. 

O apresentador Amadeu Campos citou uma divergência dentro do partido nas eleições de 2006, em que parte do MDB, antes PMDB, queria Mão Santa para indicar o vice João Henrique de Wellington Dias e na convenção venceu Mão Santa. O grupo divergiu e todos foram candidatos, mas em outro palanque.

Segundo Themístocles, essa cenário não vai se repetir. “Eu não votei no Mão Santa para governador, eu votei no Wellington Dias. Eu fui candidato pelo MDB e fui eleito. Isso aconteceu. O MDB tem várias cabeças, aliás, acho que todos os partidos e o PT deve ter até cinco, seis seguimentos, sete. Eu acho que o MDB deve ter três, quatro e como o PT deve ter mais. Isso é perfeitamente natural acontecer em qualquer partido. Mas eu me reservo, peso aos meus amigos”, abordou.

Themístocles evita falar sobre  candidatura para a Assembleia. “É o maior desrespeito agora, porque como eu vou saber se vou ser reeleito? Vamos deixar o povo escolher e depois que o povo escolhe, aí é que se fala. Eu não vou participar desse desrespeito a população e nunca fiz isso. Fui candidato várias vezes, pergunte ao Wellington Dias, ao Wilson Martins se algum dia fui perguntar, porque isso acontece com naturalidade. Ninguém pode fazer isso, para não dizer que o voto do eleitor não vale nada” exemplificou. 

Novamente questionado sobre as articulações que o ‘tiraram’ da vaga de vice, o deputado criticou as articulações. “Eles não devem estar preocupados comigo, não. Eles devem estar preocupados com é com o povo, explicar para o povo e não é o deputado, não. Eu sou bem pequenininho, em todo esse processo aí eu sou pequeno. Eles devem explicar isso para a opinião pública, como isso está acontecendo e nos bastidores você vai ficar assombrado do que está acontecendo”, declarou. 

Themístocles negou mágoa com após as novas definições. “Não está na hora de falarmos de mágoa, não".  

“Por que eu vou procurar o prefeito Firmino? Eu sou amigo do Luciano. O cidadão está aí, deputado estadual e cidadão de bem, assim como o Dr. Pessoa; o Elmano. Eu estou falando dos deputados estaduais com quem eu tenho essa amizade, o Luciano, o Dr. Pessoa e o Elmano que eu participei da sua campanha e quando ele perdeu em 2012, quem estava do lado dele na derrota, aí você sabe quem é amigo, o deputado Themistocles era quem estava do lado. Elmano é um cidadão de bem, simples. Então por que vou falar mal do Luciano, do Dr. Pessoa? Não, eu acho que não é por aí e acho que eles não são capazes desse departamento, não”, disse.













Tópicos
Compartilhe
Google Whatsapp

veja também

Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar